Demissões nos EUA saltam em novembro por setores de varejo e tecnologia, mostra relatório

(Reuters) - Os empregadores norte-americanos aumentaram seus cortes de funcionários anunciados em novembro, liderados pelos setores de varejo e tecnologia, em mais um sinal de que o mercado de trabalho está começando a afrouxar, mostrou um relatório divulgado nesta quinta-feira.

As demissões anunciadas por empregadores sediados nos EUA totalizaram 45.510 no mês passado, um aumento de 24% em relação às 38.836 de outubro, informou a empresa global de recolocação Challenger, Gray & Christmas no relatório.

Embora tenha sido a primeira vez desde julho que os cortes anunciados foram menores do que no mesmo mês do ano anterior, o total acumulado no ano foi o mais alto desde 2020, quando a economia enfrentava o impacto da pandemia da Covid-19.

Os planos de contratação também parecem ter enfraquecido. Em novembro, os empregadores dos EUA anunciaram planos de contratar 15.566 trabalhadores, totalizando 775.501 no acumulado do ano. Esse é o menor total de contratações anunciadas no acumulado do ano desde 2015.

Da mesma forma, os empregadores sazonais anunciaram 573.300 contratações neste ano até novembro, o menor número no acumulado do ano desde 2013.

O Federal Reserve está atento a novas indicações de esfriamento do mercado de trabalho, já que busca um progresso contínuo para levar a inflação de volta à sua meta de 2%.

A campanha de aumento de juros do banco central nos últimos 20 meses já deu frutos, reduzindo a inflação para uma taxa anual de 3,0% pela medida preferida do Fed, menos da metade de seu pico no verão do ano passado, e o mercado de trabalho agora também está se desacelerando de forma constante, à medida que o aumento dos custos dos empréstimos diminui os gastos das empresas.

De janeiro a novembro, as empresas anunciaram planos de cortar 686.860 empregos, um aumento de 115% em relação aos 320.173 cortes anunciados no mesmo período de 2022.

As vagas abertas de emprego caíram para uma mínima de mais de dois anos e meio de 8,733 milhões em outubro, segundo dados do governo divulgados na terça-feira. Havia 1,34 vaga para cada pessoa desempregada, o menor número desde agosto de 2021.

Continua após a publicidade

O esperado relatório mensal de empregos será divulgado na sexta-feira. Economistas consultados pela Reuters projetam abertura de 180.000 vagas fora do setor agrícola em novembro, após 150.000 no mês anterior.

"O mercado de trabalho está se afrouxando, e os empregadores não estão tão rápidos em contratar. O mercado de trabalho parece estar se estabilizando com uma rotatividade mais normal, embora esperemos continuar a ver demissões no Ano Novo", disse Andrew Challenger, vice-presidente sênior da Challenger, Gray & Christmas.

Os varejistas lideraram as demissões anunciadas em novembro, com 6.548 cortes de funcionários. As dispensas no setor de tecnologia ficaram em segundo lugar, com 5.049 anúncios.

(Reportagem de Lindsay Dunsmuir)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes