EUA devem ter forte crescimento do emprego em novembro com fim de greves

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - O crescimento do emprego nos Estados Unidos possivelmente aumentou em novembro, à medida que milhares de trabalhadores do setor automobilístico e de entretenimento retornaram aos seus postos com o fim de uma série de greves, mas a tendência subjacente deve apontar para um arrefecimento do mercado de trabalho.

O relatório de emprego do Departamento do Trabalho, que será divulgado nesta sexta-feira e também deve mostrar um aumento moderado dos salários e a taxa de desemprego inalterada em uma máxima de quase dois anos de 3,9%, consolidará a opinião de que o Federal Reserve não elevará mais os juros neste ciclo.

Porém, com a previsão de que os ganhos de emprego devem permanecer bem acima dos 100.000 mensais necessários para acompanhar o crescimento da população em idade ativa, isso pode esfriar as expectativas do mercado financeiro de que o banco central comece a cortar os juros já no primeiro trimestre de 2024.

Espera-se que o Fed mantenha os juros inalterados na próxima quarta-feira. A autoridade monetária já elevo sua taxa de juros em 525 pontos-base para a faixa atual de 5,25% a 5,50%, desde março de 2022.

"Estamos buscando mais evidências de que a política monetária restritiva e as condições de crédito apertadas estão tendo o efeito desejado, atenuando as pressões inflacionárias, não apenas na economia de forma mais ampla, mas também no mercado de trabalho", disse James Knightley, economista-chefe internacional do ING.

"Não acho que o Fed estará sinalizando um desejo de cortar na escala que o mercado está procurando precificar neste momento, mas eles estarão bastante satisfeitos com a evidência do arrefecimento do mercado de trabalho."

Os dados devem mostrar que 180.000 empregos foram criados fora do setor agrícola no mês passado, depois de um aumento de 150.000 em outubro, de acordo com uma pesquisa da Reuters com economistas.

Cerca de 25.300 membros do sindicato United Auto Workers (UAW) encerraram suas greves contra as três grandes montadoras do país em 31 de outubro, o que reduziu a criação de empregos do setor industrial naquele mês, segundo dados do governo.

Continua após a publicidade

É provável que a retomada dos empregos também tenham sido impulsionadas pela volta ao trabalho de 16.000 membros do sindicato de atores SAG-AFTRA.

Ainda assim, os ganhos de emprego seriam menores do que a média mensal de 238.800 empregos neste ano. A demanda por trabalhadores está se moderando à medida que os elevados aumentos de juros do Fed reduzem a demanda na economia em geral.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes