Dólar sobe antes de dados de inflação dos EUA e decisões de BCs

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar subia frente ao real nesta segunda-feira, início de uma semana que será marcada por novos dados de inflação nos Estados Unidos e pelas decisões de política monetária do Federal Reserve e do Banco Central do Brasil.

Às 9:39 (horário de Brasília), o dólar à vista avançava 0,44%, a 4,9506 reais na venda.

Na B3, às 9:39 (horário de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,41%, a 4,9575 reais.

O movimento cambial refletia em parte o avanço dos rendimentos dos Treasuries, com a taxa do título norte-americano de dez anos negociada a 4,2717%, ante 4,245% no pregão anterior.

"Juros corrigem parte da queda de sexta, beneficiando o dólar, que sobe de maneira disseminada", explicou Nicolas Borsoi, economista-chefe da Nova Futura. O índice do dólar --que mede o desempenho da moeda norte-americana frente a uma cesta de seis divisas-- subia 0,15%, a 104,120.

O foco dos investidores estava nos dados de inflação dos EUA de terça-feira, que precederão a decisão do Fed de quarta, em que o banco central deve manter os juros na faixa atual de 5,25% a 5,50%.

"Em dia de agenda esvaziada, os mercados globais exibem pouco fôlego, às vésperas das decisões de política monetária de importantes bancos centrais", disse o Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos do Bradesco em relatório, acrescentando que "os dados de inflação ao consumidor nos EUA contribuirão para a calibragem das expectativas para a decisão do Fed."

Após sinais recentes de arrefecimento da inflação na maior economia do mundo, e apesar da resiliência do mercado de trabalho, investidores anteciparam nas últimas semanas suas apostas para o início do afrouxamento monetário do Fed, com muitos esperando o primeiro corte de juros em março ou maio de 2024.

Continua após a publicidade

A redução dos custos dos empréstimos nos Estados Unidos tende a favorecer moedas mais rentáveis, como o real e seus pares emergentes, frente ao dólar.

No Brasil, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC também divulga sua decisão na quarta, com ampla expectativa de novo corte de 0,5 ponto percentual na taxa Selic, a 11,75% ao ano.

Na última sessão, na sexta-feira, o dólar à vista fechou o dia cotado a 4,9288 reais na venda, em alta de 0,41%.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes