Bolsa de criptomoedas KuCoin vai fechar em Nova York e pagar US$22 mi em acordo judicial

Por Luc Cohen

NOVA YORK (Reuters) - A KuCoin, uma das maiores bolsas de criptomoedas do mundo, concordou em interromper o acesso dos usuários de Nova York à sua plataforma e acertou pagamento de 22 milhões de dólares para resolver uma ação judicial movida pelo Estado como parte de esforço para controlar as empresas de ativos digitais.

A procuradora-geral Letitia James processou a KuCoin em março, acusando a plataforma de não ter se registrado no Estado antes de permitir que os investidores comprassem e vendessem criptomoedas em sua plataforma.

"As empresas de moedas digitais devem entender que precisam seguir as mesmas regras que outras instituições financeiras", disse James em comunicado nesta terça-feira.

O acordo, no qual a KuCoin também concordou em parar de negociar títulos e commodities em Nova York, ocorre no momento em que os órgãos reguladores dos EUA intensificam fiscalização sobre os mercados de moedas digitais para reprimirem fraude e lavagem de dinheiro.

No mês passado, o fundador da FTX, Sam Bankman-Fried, foi condenado por acusações federais de roubo de bilhões de dólares dos clientes da bolsa de criptomoedas, enquanto o fundador da rival Binance concordou em se declarar culpado de violar leis de combate à lavagem de dinheiro dos EUA.

O pagamento de 22 milhões de dólares da KuCoin inclui 5,3 milhões ao Estado e o reembolso de 16,7 milhões de dólares em criptomoedas para 177.800 investidores de Nova York.

A KuCoin está atrás da Binance, Coinbase e Kraken entre as maiores bolsas de criptomoedas, de acordo com a empresa de dados CoinMarketCap.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes