Minério de ferro cai com enfraquecimento das esperanças de forte estímulo na China

PEQUIM (Reuters) - Os contratos futuros do minério de ferro recuaram nesta quarta-feira, conforme os investidores se tornaram cautelosos com possíveis riscos baixista após estímulos anunciados no dia anterior na China, principal mercado consumidor do minério, terem ficado aquém das expectativas.

O minério de ferro de referência para janeiro na Bolsa de Cingapura caiu 2,06%, para 133,3 dólares a tonelada.

O minério de ferro de maio mais negociado na Dalian Commodity Exchange (DCE) da China encerrou o dia com queda de 1,35%, a 948 iuanes (131,94 dólares) a tonelada.

"Os líderes da China decepcionaram o mercado sem nenhum pedido de grandes medidas de estímulo", disseram os analistas do banco ANZ em uma nota.

O país intensificará os ajustes de políticas para apoiar uma recuperação econômica em 2024, disse a mídia estatal, citando a Conferência Central de Trabalho Econômico anual realizada de 11 a 12 de dezembro.

"É normal ver uma correção de preços para baixo, já que a última onda de alta de preços foi impulsionada principalmente por fortes expectativas de estímulo macroeconômico", disse Chu Xinli, analista da China Futures, com sede em Xangai.

As siderúrgicas preferiram comprar cargas portuárias na base do "boca a boca", em vez de fazer pedidos de cargas marítimas caras em meio a margens reduzidas, disse Pei Hao, analista da corretora internacional FIS, com sede em Xangai.

"Essa é, em parte, a razão pela qual se observa uma queda mais acentuada no benchmark de Cingapura."

Os índices de referência do aço na Bolsa de Futuros de Xangai caíram de modo geral, já que o suporte pelo lado de custo recuou e a demanda diminuiu depois que a última onda de frio interrompeu a atividade de construção em muitas regiões do norte da China.

Continua após a publicidade

As autoridades chinesas advertiram que a maior parte do país enfrentaria fortes nevascas e temperaturas baixas nesta semana, no que poderia ser um dos meses mais frios de dezembro na China em décadas.

(Reportagem de Amy Lv e Dominique Patton)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes