Preços do petróleo sobem 1% com grande retirada nos estoques dos EUA e ataque a petroleiro no Mar Vermelho

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo subiram cerca de 1% nesta quarta-feira, saindo de uma mínima de cinco meses registrada na sessão anterior, devido a uma retirada semanal maior do que o esperado nos estoques de petróleo dos Estados Unidos e preocupações com a segurança do fornecimento de petróleo do Oriente Médio após ataque a um petroleiro no Mar Vermelho.

Operadores também observaram que os preços do petróleo mantiveram os ganhos após o Federal Reserve deixar as taxas de juros estáveis, conforme esperado, e sinalizar que começará a reduzir os custos de empréstimos em 2024.

Taxas de juros mais baixas reduzem os custos de empréstimos para os consumidores, o que pode impulsionar o crescimento econômico e a demanda por petróleo.

Os contratos futuros de Brent subiram 1,4%, a 74,26 dólares por barril. O petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI) fechou em alta de 1,3%, a 69,47 dólares.

Um petroleiro no Mar Vermelho, ao largo da costa do Iêmen, foi alvo de disparos por homens armados em uma lancha e atingido por mísseis, sendo o incidente mais recente a ameaçar a rota de navegação, após as forças houthis do Iêmen alertarem os navios para não viajarem para Israel.

A Administração de Informação de Energia dos EUA (EIA) informou que as empresas de energia retiraram dos estoques um volume maior do que o esperado, de 4,3 milhões de barris de petróleo, durante a semana encerrada em 8 de dezembro, à medida que as importações diminuíram. [EIA/S] [EIA/A]

"Este relatório (EIA) é definitivamente mais favorável do que o relatório (API) que vimos ontem", disse Phil Flynn, analista da Price Futures Group, referindo-se à "redução maior do que o esperado na oferta de petróleo bruto" no relatório da EIA.

(Reportagem de Scott DiSavino em Nova York, Robert Harvey em Londres e Colleen Howe em Pequim)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes