Prêmio "Nobel Verde" reconhecerá trabalho ambiental na floresta amazônica

BRASÍLIA (Reuters) - O sobrinho-bisneto de Alfred Nobel está oferecendo o “Nobel Verde”, prêmio não relacionado à Fundação Nobel, aos defensores ambientais da floresta amazônica.

Marcus Nobel, um empresário sueco-americano baseado em Portland, no Estado norte-americano do Oregon, criou o prêmio ambiental anual para destacar projetos que ajudem a preservar e sustentar a floresta tropical e a proteger sua biodiversidade.

O prêmio Terra Unida Amazônia será entregue em junho a seis vencedores no icônico Teatro Amazonas, que tem 130 anos, em Manaus. O prêmio em dinheiro ainda não foi decidido, disseram os organizadores.

“Aumentar a consciência é muito importante para nós”, disse Nobel em uma entrevista. Sua ONG, chamada United Earth, se concentra na promoção de uma humanidade comum, que viva em paz consigo mesma e com a natureza.

O prêmio, que tem o objetivo de dar visibilidade a contribuições ambientais excepcionais, foi oferecido pela primeira vez no ano passado, sem remuneração monetária. O escopo do prêmio de 2024 será ampliado para incluir as nações vizinhas do Brasil que compartilham a floresta tropical.

Uma estátua de cinco metros de um globo representando o prêmio será erguida às margens do Rio Negro, em Manaus, como símbolo do compromisso da cidade com a proteção da floresta amazônica, informou a prefeitura.

(Reportagem de Anthony Boadle)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes