Cruise, da GM, planeja reduzir um quarto de sua força de trabalho

Por David Shepardson

(Reuters) - A Cruise, divisão de veículos autônomos da General Motors, vai reduzir sua força de trabalho em 24%, demitindo cerca de 900 dos seus 3.800 funcionários de tempo integral, informou a empresa nesta quinta-feira.

Os cortes ocorrerão principalmente nas operações comerciais e funções corporativas relacionadas. A Cruise demitiu nove executivos na quarta-feira, incluindo seu diretor de operações, após semanas de turbulência na unidade de veículos autônomos, que teve que retirar todos os seus veículos de testes após um acidente em outubro.

O presidente-executivo da Cruise, Kyle Vogt, e o cofundador Dan Kan renunciaram nas últimas semanas, e a Cruise está se preparando para uma rodada de demissões neste mês.

Em 2 de outubro, uma mulher foi atingida e arrastada por um veículo da Cruise em São Francisco. O Estado da Califórnia respondeu suspendendo a permissão de testes sem motorista da Cruise, e pouco depois a empresa interrompeu todas as operações de teste nos Estados Unidos.

"A GM apoia as difíceis decisões de emprego tomadas pela Cruise, pois reflete o seu caminho mais deliberado à frente, tendo a segurança como norte", disse um porta-voz da GM.

"Estamos confiantes na equipe e comprometidos em apoiar a Cruise à medida que eles preparam a empresa para o sucesso a longo prazo, com foco em confiança, responsabilidade e transparência."

(Reportagem de David Shepardson em Washington e Nathan Gomes em Bengaluru)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes