Preços de importados nos EUA registram 2ª queda mensal consecutiva em novembro

WASHINGTON (Reuters) - Os preços de importados nos Estados Unidos caíram pelo segundo mês consecutivo em novembro, em meio a reduções nos custos de produtos de energia e veículos automotores, sugerindo que a deflação das importações pode ajudar a reduzir a inflação doméstica no próximo ano.

Os preços de importados caíram 0,4% no mês passado, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira. Os dados de outubro foram revisados para mostrar uma queda de 0,6% nos preços, em vez de 0,8% como informado anteriormente. Economistas consultados pela Reuters previam que os preços de importação, que excluem as tarifas, cairiam 0,8%.

No período de 12 meses até novembro, os preços de importados diminuíram 1,4%, depois de queda de 1,8% em outubro. Os preços anuais de importados já caíram por 10 meses consecutivos.

Dados desta semana mostraram que os preços ao consumidor aumentaram moderadamente em novembro e que os preços ao produtor ficaram inalterados. Embora a inflação continue acima da meta de 2% do Federal Reserve, os aumentos de preços estão se tornando menos abrangentes.

O banco central dos EUA manteve a taxa de juros na quarta-feira e sinalizou, em novas projeções econômicas, que o aperto histórico da política monetária ao longo dos últimos dois anos está no fim e que 2024 deve ter custos de empréstimos mais baixos.

Desde março de 2022, o Fed aumentou sua taxa de juros em 525 pontos-base, para a faixa atual de 5,25% a 5,50%. Os mercados financeiros estão se inclinando para um corte na taxa já em maio, de acordo com a ferramenta FedWatch do CME Group.

(Reportagem de Lucia Mutikani)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes