Ibovespa se mantém próximo de máxima com Petrobras e perspectiva de queda de juros nos EUA

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa seguia perto das máximas nesta sexta-feira, apoiado pelo ambiente mais favorável a risco no exterior diante de perspectiva de queda de juros nos Estados Unidos no início do próximo ano. Petrobras também dava impulso ao índice, avançando mais de 1%.

O último pregão da semana na B3 ainda é marcado pelo vencimento de opções sobre ações.

Às 11:24, o Ibovespa subia 0,16 %, a 131.056,44 pontos, perto do recorde intradia atingido na véspera de 131.259,81 pontos, que havia superado a máxima anterior de 7 de junho de 2021 (131.190,30 pontos).

Os negócios ainda ganhavam fôlego com expectativas sobre aprovação da reforma tributária ainda este ano. Mais cedo, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), disse que a Casa está conversando com o Senado para tentar promulgar a emenda constitucional da reforma ainda em 2023 e acrescentou um pedido para que os deputados mantenham as conquistas do texto em votação mais tarde.

Petrobras avançava 1,6%, a 37,92 reais, segunda maior alta do Ibovespa. O petróleo Brent em Londres subia 0,4%, a 76,93 dólares o barril, enquanto em Nova York a commodity era negociada em alta de 0,31%, a 71,80 dólares.

Na outra ponta, Casas Bahia desabava 8,2%, a 11,47 reais no primeiro dia após grupamento na proporção de 25:1 de seus papéis

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes