Importação de aço no Brasil pisa no freio em novembro

SÃO PAULO (Reuters) - As importações de aço pelo Brasil cumpriram expectativas do setor e mostraram resfriamento em novembro, recuando quase 16% ante outubro e avançando um dígito na comparação com um ano antes, segundo dados do Aço Brasil, entidade que representa usinas instaladas no país.

A internalização de material produzido no exterior caiu 15,9% em novembro ante outubro para 356 mil toneladas, crescendo 9,2% na comparação anual. No acumulado do ano até o final do mês passado, porém, o saldo ainda mostra expansão de quase 50% nas importações de aço pelo Brasil, a 4,5 milhões de toneladas.

Na véspera, o diretor comercial da CSN, Luis Fernando Martinez, afirmou que as importações pareciam já ter atingido um pico e que esperava um recuo nos próximos meses. A avaliação seguiu-se a outros comentários de membros da indústria, incluindo a associação de distribuidores de aços planos Inda.

A indústria siderúrgica nacional vem há meses cobrando do governo federal imposição de tarifa de importação de 25% sobre aço, de olho em frear o avanço de produtores asiáticos como a China, que foi responsável em novembro por 71% da liga que chegou ao país, segundo os dados do Aço Brasil.

Apesar da queda nas importações, a produção de aço bruto em novembro teve alta discreta, avançando sobre 3,8% sobre um ano antes e 2,8% ante outubro, para 2,74 milhões de toneladas. No ano, o volume produzido soma 29,35 milhões de toneladas, queda de 7,1%.

A produção em novembro contou com reinício das operações do maior alto-forno da Usiminas, o de número três da usina de Ipatinga (MG), mas o mês foi marcado por anúncios de suspensão de produção de empresas como a ArcelorMittal, que informou "parada técnicas" em três instalações em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais neste final de ano por demanda fraca e importações elevadas.

As vendas de aço no mercado interno no mês passado caíram 2,1% ante novembro de 2022 e recuaram 1,4% na comparação mensal, para 1,6 milhão de toneladas. No acumulado, o setor vendeu no país 18 milhões de toneladas de aço, queda de 5% sobre o mesmo período do ano passado.

Enquanto isso, as exportações das siderúrgicas do Brasil em novembro caíram cerca de 12% ante outubro, mas avançaram quase 20% ante novembro do ano passado, para 971 mil toneladas.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes