State Grid avaliará novos leilões de transmissão, busca antecipar operação de bipolo

Por Letícia Fucuchima

SÃO PAULO (Reuters) - A chinesa State Grid segue interessada em participar dos próximos leilões de transmissão de energia do Brasil, mesmo após ter arrematado o maior projeto oferecido no certame desta sexta-feira, assumindo compromissos de 18 bilhões de reais em investimentos.

"A gente já tem agora em nossas mãos um projeto muito grande que nós temos responsabilidade de implantar, mas não é por isso que nós deixaremos de estar de olho nos próximos leilões", disse o vice-presidente da State Grid Brazil Holding, Ramon Sade Haddad, em coletiva de imprensa após o certame.

"Os lotes do leilão de março já estão aí definidos. Nós vamos avaliar, vamos continuar estudando os leilões vindouros também", acrescentou.

A subsidiária da estatal chinesa, que já é uma das maiores operadoras de transmissão de energia no Brasil, com 24 concessionárias, foi a grande vencedora da licitação desta sexta-feira, ao ganhar a disputa por um bipolo que irá aumentar o escoamento de energia gerada no Nordeste para o resto do país.

Quando o empreendimento entrar em operação, a empresa receberá uma receita anual permitida (RAP) de 1,94 bilhão de reais, representando deságio de 39,90% frente ao valor máximo definido pelo regulador para a licitação.

Haddad disse que a companhia buscará antecipar a entrada em operação do bipolo frente ao prazo estipulado de 72 meses para implantação, como forma de contribuir com o atendimento da crescente demanda nacional por energia.

"A gente pensa sim em algum tipo de antecipação. A gente não pode garantir... Agora, a gente pensa em uma tentativa, tanto do ponto de vista de empreendedorismo quanto do ponto de vista do sistema elétrico brasileiro."

O executivo também afirmou que a companhia já fechou pré-contratos para fornecimento de equipamentos e materiais, com um "mix" de fornecedores nacionais e internacionais para o projeto.

Continua após a publicidade

Já sobre financiamento dos investimentos necessários para o bipolo, a State Grid está estudando "tudo que existe no mercado", disse o vice-presidente, sem entrar em detalhes.

NOVO BIPOLO

O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Thiago Prado, disse nesta sexta-feira que o governo está estudando a licitação de um segundo bipolo de transmissão de energia, que poderá ir a leilão "muito provavelmente" em 2025 ou 2026.

Os estudos sobre o projeto, que ainda não estão concluídos, apontam que o sistema poderá ter cerca de 3 mil quilômetros de linhas, partindo do Nordeste e podendo chegar até o Sul, disse.

"A perspectiva é que a gente tenha uma manutenção no nível de investimentos no segmento de transmissão. Isso já tem sido sinalizado nos planos decenais de energia", afirmou Prado, ao comentar sobre o cronograma de leilões a partir de 2024.

Para o próximo ano, já está definida a realização de um certame em março com a oferta de 15 lotes, somando ao todo 18,2 bilhões em reais em investimentos.

Continua após a publicidade

Ricardo Tili, diretor da agência reguladora Aneel, avaliou que o cenário para os próximos certames é positivo, assim como o visto nesta sexta-feira, com um deságio médio da ordem de 40% que "surpreendeu" as expectativas.

"A minha avaliação é que o leilão de março também vai ser bem-sucedido... Grandes players do setor de transmissão não participaram deste leilão, eles esperaram um leilão de corrente alternada, (tecnologia) que tem muito mais empresas no mercado com capacidade de execução", observou Tili.

(Por Letícia Fucuchima)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes