União Europeia mira plataforma X em 1ª investigação de conteúdo ilegal

ESTOCOLMO (Reuters) - A União Europeia está investigando a empresa de mídia social X -- anteriormente conhecida como Twitter -- por suspeita de violações de obrigações relacionadas, em parte, a publicações após os ataques do Hamas a Israel, em sua primeira investigação sob a Lei de Serviços Digitais (DSA, na sigla em inglês).

A DSA entrou em vigor em novembro do ano passado e exige que grandes plataformas online e ferramenas de busca façam mais para combater conteúdo ilegal e riscos à segurança pública.

A investigação se concentrará em combater a disseminação de conteúdo ilegal na UE e na eficácia das medidas tomadas para enfrentar a manipulação de informações, incluindo o sistema de "notas da comunidade", afirmou a comissão.

Este ano, o X lançou seu recurso "Notas da Comunidade", que permite aos usuários comentar em publicações para sinalizar conteúdo falso ou enganoso, efetivamente terceirizando a verificação de fatos para os usuários, em vez de manter uma equipe dedicada.

A investigação também examinará diferentes aspectos do negócio da empresa, incluindo o acesso a dados fornecido a pesquisadores.

A plataforma X continua comprometida em cumprir a DSA e está cooperando com o processo regulatório, afirmou a empresa em comunicado nesta segunda-feira.

"É importante que este processo permaneça livre de influência política e siga a lei", acrescentou.

(Reportagem de Supantha Mukherjee em Estocolmo; reportagem adicional de Tassilo Hummel em Paris, Alvise Armellini em Roma e Arsheeya Bajwa em Bengaluru)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes