StoneX reduz previsão de consumo de diesel em 2024, mas mantém previsão de recorde

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O consumo de diesel B pelo Brasil em 2024 deverá crescer 1,4% na comparação com o ano anterior, para um recorde de 66 bilhões de litros, apontou a consultoria StoneX nesta terça-feira, após revisar para baixo a estimativa.

Em outubro, a consultoria havia previsto que a demanda pelo diesel B (misturado ao biodiesel) deveria aumentar 2,13% na mesma comparação, para 66,5 bilhões de litros.

Segundo a consultoria, a revisão ocorreu após perspectivas de um avanço anual menos acelerado da economia brasileira e uma produção menos aquecida de grãos.

"Apesar do ajuste, nas projeções da StoneX, o consumo do combustível continuará se mantendo em patamares elevados, rompendo os recordes históricos pelo quarto ano seguido", afirmou em relatório.

No caso das estimativas de vendas de biodiesel, a StoneX optou por aguardar reunião do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) prevista para terça-feira, diante de eventual alteração nos mandatos de mistura obrigatória no diesel fóssil.

Atualmente, o diesel B é vendido com uma mistura de 12% de biodiesel, que deveria aumentar para 13% em 2024, segundo o atual cronograma definido pelo governo, mas esse prazo pode ser revisto na reunião.

Já para 2023, a StoneX manteve suas projeções de ampliação das vendas de diesel até o final do ano em 3% frente ao ano anterior, alcançando 65,1 bilhões de litros -- recorde histórico para o indicador.

(Por Marta Nogueira)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes