Harker, do Fed, se mostra aberto a cortes de juros, mas não para logo

Por Michael S. Derby

NOVA YORK (Reuters) - O presidente do Federal Reserve da Filadélfia, Patrick Harker, disse nesta quarta-feira que ainda se opõe a qualquer outro aumento da taxa de juros pelo banco central, ao mesmo tempo em que sinaliza abertura para reduzir os custos de empréstimos de curto prazo, embora não de forma iminente.

"Tenho estado no campo do vamos manter a taxa onde está por um tempo, vamos ver como isso se desenrola, não precisamos mais aumentar os juros", disse Harker em uma aparição na estação de rádio WHYY, com sede na Filadélfia.

Mas, olhando para o futuro, "é importante que comecemos a baixar os juros", disse ele, acrescentando que "não precisamos fazer isso muito rápido, não vamos fazer isso imediatamente, vai levar algum tempo".

Nos últimos dias, várias autoridades do Fed advertiram os mercados para que não se precipitassem em relação à perspectiva de redução dos custos de empréstimos em meio a uma perspectiva econômica ainda incerta.

Na entrevista à rádio, Harker disse que um "pouso suave" para a economia norte-americana, no qual uma recessão é evitada, a inflação retorna à meta de 2% e o mercado de trabalho não é gravemente prejudicado, é bem possível.

Ele disse esperar que o desemprego aumente um pouco, mas acrescentou que as empresas estão tendo mais facilidade em encontrar trabalhadores. Um motivo para reduzir os juros, disse Harker, é ajudar as empresas que estão enfrentando dificuldades com taxas de empréstimo caras.

Mas ele acrescentou uma nota de cautela sobre as perspectivas. "Deixe-me ser claro: o trabalho sobre a inflação não está concluído, mas estamos indo na direção certa, as coisas estão começando a parecer cada vez melhores."

(Reportagem de Michael S. Derby)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes