Inflação no Reino Unido cai com força e reforça apostas em cortes de juros

Por Andy Bruce e David Milliken

LONDRES (Reuters) - A inflação no Reino Unido caiu em novembro para o menor nível em mais de dois anos, levando os investidores a apostar ainda mais que o Banco da Inglaterra reduzirá a taxa de juros no primeiro semestre do próximo ano.

A taxa anual de aumento dos preços ao consumidor caiu de 4,6% em outubro para 3,9% em novembro, devido em parte ao preço mais baixo da gasolina, registrando o valor mais baixo desde setembro de 2021, informou o Escritório de Estatísticas Nacionais nesta quarta-feira.

A leitura do índice de preços ao consumidor ficou abaixo de todas as previsões em uma pesquisa da Reuters com economistas, que apontava para uma taxa de 4,4%. As medidas do núcleo e de serviços - observadas de perto pelo banco central - também caíram.

Os investidores passaram a precificar totalmente um corte nos juros pelo Banco da Inglaterra até maio de 2024 e agora veem uma chance de quase 50% de redução até março.

Com sua taxa de inflação agora igualando a da França, o Reino Unido não parece mais ser uma exceção em termos internacionais. Mas o aumento de quase 21% nos preços ao consumidor desde 2020 ainda é maior do que o de qualquer outra economia avançada do G7.

A inflação atingiu o pico em 41 anos de 11,1% em outubro de 2022, impulsionada por um aumento nos preços de energia após a invasão da Ucrânia pela Rússia, o que agravou os gargalos existentes que estavam elevando os preços após a pandemia da Covid-19.

As autoridades do Banco da Inglaterra têm sido cautelosas sobre se os sinais recentes de arrefecimento da inflação realmente representam uma indicação de que as pressões de preços persistentes e de longo prazo estão recuando, mas os economistas disseram que os números mais recentes podem levar a uma reformulação.

"Isso fornece fortes evidências de que as pressões desinflacionárias estão aumentando no Reino Unido", disse Jake Finney, economista da PwC. "A inflação geral, o núcleo da inflação e a inflação de serviços estão agora materialmente abaixo das expectativas do Banco da Inglaterra em seu último Relatório de Política Monetária de novembro."

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes