China responderá a riscos de flutuação da taxa de câmbio para apoiar os exportadores, diz ministério

PEQUIM (Reuters) - O Ministério do Comércio da China disse nesta quinta-feira que trabalhará com o banco central e com todo o governo para administrar as flutuações da taxa de câmbio ao longo de 2024, caso o iuan comece a se recuperar em relação ao dólar e encarecer as já fracas exportações chinesas.

Os fabricantes da segunda maior economia do mundo enfrentaram dificuldades para conseguir compradores no país e no exterior durante a maior parte deste ano. Embora as exportações tenham crescido pela primeira vez em seis meses em novembro, analistas alertaram que os proprietários de fábricas estavam sendo ajudados por um iuan fraco e provavelmente oferecendo descontos insustentáveis para encontrar compradores.

"Trabalharemos com o Banco do Povo da China, a Administração Estatal de Câmbio e outros departamentos... para lidar efetivamente com o risco das flutuações da taxa de câmbio", disse Shu Jueting, porta-voz do Ministério do Comércio.

"Apoiaremos as empresas por meio de hedging e liquidação transfronteiriça do renminbi", acrescentou.

Bancos de investimento globais preveem que o iuan enfrentará uma pressão contínua de queda no primeiro semestre de 2024, antes de se recuperar nos seis meses seguintes, com base na opinião de que o Federal Reserve começará a cortar a taxa de juros nos Estados Unidos até lá.

(Reportagem de Joe Cash e Ella Cao)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes