Putin autoriza compra de ativos russos do Société Générale pelo Rosbank

MOSCOU (Reuters) - O presidente russo, Vladimir Putin, assinou neste domingo um decreto autorizando que o Rosbank compre participações detidas pelo Société Générale em grandes empresas russas.

O Rosbank poderá comprar as participações do SocGen em produtores de energia como Rosneft e Gazprom, empresas metalúrgicas incluindo Norilsk Nickel e Severstal, e outras companhias russas de primeira linha.

O Société Générale não comentou. O banco tinha uma exposição de 22,4 bilhões de euros à Rússia no final de junho de 2021, de acordo com dados da Autoridade Bancária Europeia.

As empresas dos chamados países "hostis" – aqueles que anunciaram sanções contra a Rússia após o Kremlin enviar tropas para a Ucrânia em fevereiro de 2022 – necessitam de dispensa especial de Moscou para transações que envolvam ativos russos.

A agência de notícias Interfax disse que as participações do SocGen nas empresas russas eram relativamente pequenas, sendo, por exemplo, de 0,04% na Gazprom, e de 0,02% na Alrosa, a maior produtora de diamantes do mundo.

No entanto, o valor combinado dos ativos é de "bilhões de rublos".

O Société Générale saiu da Rússia e fechou a venda da sua unidade local Rosbank ao grupo Interros, empresa ligada ao oligarca russo Vladimir Potanin, em maio de 2022.

Putin disse que as sanções ocidentais são uma declaração de guerra econômica à Rússia.

Centenas de bilhões de dólares em ativos estatais russos foram congelados no Ocidente, bem como recursos de alguns empresários e investidores do país.

Continua após a publicidade

Ao mesmo tempo, os empresários russos tomaram o controle de importantes ativos ocidentais na Rússia, incluindo oito cervejeiras da Carlsberg e empresas da Danone.

(Reportagem de Vladimir Soldatkin em Moscou; reportagem adicional de Silvia Aloisi em Paris)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes