Conteúdo publicado há 2 meses

Boeing pede que companhias aéreas inspecionem 737 MAX, diz FAA

A Agência Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês) disse nesta quinta-feira que a fabricante de aviões Boeing está incentivando as companhias aéreas a inspecionar os aviões 737 MAX mais novos devido a um eventual parafuso solto no sistema de controle do leme.

A FAA disse que estava "monitorando de perto" as inspeções direcionadas ao Boeing 737 MAX e considerará ações adicionais com base em qualquer descoberta adicional de equipamento solto ou ausente.

A Boeing recomendou inspeções depois que uma companhia aérea internacional descobriu um parafuso sem porca enquanto realizava manutenção de rotina em um mecanismo na ligação de controle do leme, disse a FAA. A Boeing descobriu uma outra aeronave não entregue com uma porca mal apertada, disse a agência.

A Boeing não comentou imediatamente.

A FAA disse que a Boeing emitiu uma mensagem pedindo às empresas aéreas que operam com aviões mais novos de corredor único que inspecionem peças específicas que controlam o movimento do leme em busca de possíveis ferragens soltas.

"A FAA permanecerá em contato com a Boeing e as companhias aéreas enquanto as inspeções estiverem em andamento", disse a agência, pedindo às companhias aéreas que respondam se algum equipamento solto foi detectado anteriormente e forneçam detalhes sobre a rapidez com que essas inspeções podem ser concluídas.

O 737 MAX ficou parado por 20 meses em todo o mundo depois que dois acidentes fatais em 2018 e 2019 mataram 346 pessoas na Etiópia e na Indonésia. A Boeing ainda aguarda a certificação do seu modelo menor, 737 MAX 7, e do maior, MAX 10.

A FAA examinou cuidadosamente o MAX. Em 2021, a FAA disse que estava rastreando todos os aviões 737 MAX usando dados de satélite.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes