S&P 500 encerra ano de sucesso com leve queda

Por Stephen Culp

NOVA YORK (Reuters) - As ações dos Estados Unidos e fecharam com uma queda modesta nesta sexta-feira, o último dia de negociação de 2023, mas acumularam no ano uma alta robusta, conforme investidores dirigem o foco para uma flexibilização da política monetária norte-americana no próximo ano.

O mercado acionário registrou uma tendência de alta notável nos últimos meses do ano, impulsionando os três principais índices, que registraram ganhos mensais, trimestrais e anuais.

No ano, os três índices tiveram crescimento de dois dígitos.

"Há certamente uma razão para estar satisfeito neste ano e há uma razão para otimismo em 2024", disse Oliver Pursche, vice-presidente sênior da Wealthspire Advisors.

Mesmo assim, os três principais índices acionários dos EUA encerraram a sessão em baixa.

"Eu atribuiria o fato a mudanças de última hora no portfólio, realização de lucros ao entrarmos no novo ano e talvez algum reequilíbrio", acrescentou Pursche.

S&P 500, Dow Jones e Nasdaq registraram nove ganhos semanais consecutivos -- a mais longa sequência de altas semanais do S&P 500 desde janeiro de 2004, e a mais longa do Dow Jones e do Nasdaq desde o início de 2019.

A queda dos juros ajudou a desencadear uma recuperação no final do ano, que se intensificou em dezembro, quando o Federal Reserve abriu a porta para cortes na taxa básica em 2024, após uma campanha de aumento dos custos de empréstimos que ajudou a reduzir a inflação para a meta anual de 2% do banco central norte-americano.

Continua após a publicidade

O Dow Jones teve variação negativa de 0,05%, para 37.689,54 pontos. O S&P 500 perdeu 0,28%, para 4.769,83 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq caiu 0,56%, para 15.011,35 pontos.

Dos 11 principais setores do S&P 500, o setor imobiliário registrou a maior perda percentual. Os setores de bens de consumo básicos e de saúde foram os únicos que apresentaram ganhos.

No ano, os setores de tecnologia, serviços de comunicação e bens de consumo discricionário tiveram desempenho superior, enquanto os de serviços públicos, energia e bens de consumo básicos perderam terreno.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes