Fitch Ratings vê cenário neutro para bancos no Brasil em 2024

SÃO PAULO (Reuters) - A Fitch Ratings apontou nesta terça-feira perspectiva neutra para o setor bancário brasileiro em 2024, citando progresso na redução de exposições a ativos de risco em contrapartida à quantidade maior de créditos em atraso.

"O aumento da quantidade de créditos em atraso deve ser contrabalançado pelo significativo progresso na redução do risco de balanços e no maior conservadorismo de subscrição nos últimos 18 meses", afirmou a agência de classificação de risco em relatório.

A Fitch acredita que o índice de créditos em atraso do setor será de 8,4% em 2023, "um ponto de partida confortável para 2024".

A agência também mencionou uma capitalização sólida pelos bancos, sustentando a visão de que a maioria das instituições financeiras brasileiras tem espaço suficiente para resistir a choques moderados.

"A maioria dos bancos conseguiu formar reservas adicionais em 2023, e as instituições devem manter provisões robustas, acima dos requisitos mínimos regulatórios, devido à menor alta dos ativos ponderados por risco e à adequada geração de resultados."

A Fitch estima um cenário de normalização da qualidade dos ativos contrabalançando uma contínua dificuldade em termos de receita a curto prazo, e disse ver oportunidades com possíveis cortes na taxa Selic neste ano.

"Novos cortes na Selic em 2024 podem elevar as margens líquidas por meio da reprecificação da captação, embora apenas moderadamente, uma vez que isto será contrabalançado pelo aumento da concorrência para os clientes e por um 'mix' de créditos menos lucrativos."

A melhora nas expectativas de inflação e as iniciativas de redução de custos pelos bancos também devem contribuir para a geração de lucros em 2024, acrescentou.

A agência também apresentou perspectiva neutra para maioria dos bancos na América Latina.

Continua após a publicidade

(Reportagem de Patricia Vilas Boas)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes