Nagel diz que é muito cedo para BCE discutir corte de juros

FRANKFURT (Reuters) - É muito cedo para o Banco Central Europeu discutir cortes nas taxas de juros porque a inflação continua alta, disse o membro do BCE, Joachim Nagel, nesta segunda-feira.

O presidente do banco central alemão, que defende taxas mais altas, mostrou mais uma vez sua oposição às expectativas do mercado de que o BCE começará a reduzir os custos dos empréstimos a partir da primavera (no hemisfério norte).

"É muito cedo para falar sobre cortes, a inflação está alta demais", disse Nagel na Bloomberg TV. "Quero ver dados novos. Vamos aguardar a próxima reunião do Conselho do BCE e veremos."

Os mercados monetários precificam atualmente cortes de quase 150 pontos-base na taxa de depósito do BCE este ano, provavelmente a partir de abril.

Mas Nagel disse que o erro de reduzir as taxas de juros muito cedo deve ser evitado.

"Talvez possamos esperar pelas férias de verão ou algo assim, mas não quero especular", acrescentou Nagel.

Seu colega austríaco Robert Holzmann, também citado pela Bloomberg, disse que não se deve "apostar" que o BCE reduzirá as taxas de juros este ano, tendo em vista que os conflitos no Mar Vermelho estão aumentando o custo do transporte marítimo pelo Canal de Suez.

(Reportagem de Linda Pasquini e Matthias Williams, texto de Francesco Canepa em Frankfurt)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes