Ibovespa perde patamar dos 130 mil pontos com dúvidas sobre juros nos EUA

Por Patricia Vilas Boas

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em queda de mais de 1% nesta terça-feira, perdendo o patamar dos 130 mil pontos, diante de um cenário de aversão a risco nos mercados globais em meio a dúvidas sobre o início do ciclo de cortes de juros nos Estados Unidos.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 1,69 %, a 129.294,04 pontos. Na máxima do dia, chegou a 131.516,52 pontos. Na mínima, a 129.146,61 pontos. O volume financeiro somou 23,5 bilhões de reais.

O índice se manteve no vermelho desde a manhã, pressionado pelo ambiente externo de cautela pós-feriado nos EUA.

Durante a tarde, agentes financeiros monitoraram comentários do diretor do Fed Christopher Waller em busca de pistas sobre sua opinião a respeito do momento de flexibilização da política monetária.

Waller disse que os EUA estão próximos da meta de inflação de 2% do Fed, mas o banco central norte-americano não deve se apressar em cortar sua taxa básica de juros até que esteja claro que a baixa da inflação será sustentada.

As falas de Waller, na visão de Luís Moran, head da EQI Research, deram ao mercado novos motivos para uma abordagem um pouco mais conservadora.

Isso fez com que a alta expressiva de fim de ano nas bolsas dos EUA, antecipando um corte de juros já em março, parecesse "otimista demais", disse Moran.

Os índices acionários em Nova York fecharam no negativo, com o S&P em baixa de 0,38%.

Continua após a publicidade

"Não é uma questão de 'se vai cair a taxa de juros', mas 'quando vai cair a taxa de juros'", disse o analista Renato Nobile, da Buena Vista Capital.

"Os investidores estão reduzindo seu risco, principalmente em países emergentes, e estão indo para portos-seguros."

As taxas dos DIs fecharam com forte alta, de quase 20 pontos-base em alguns vencimentos, reagindo ao avanço firme dos rendimentos dos Treasuries.

As falas do dirigente do BC norte-americano também vieram em linha com comentários recentes de autoridades do Banco Central Europeu (BCE), que diminuíram expectativas de cortes antecipados nas taxas de juros.

DESTAQUES

- RAÍZEN PN caiu 5,25%, a 3,79 reais. Em prévia operacional nesta terça-feira, a empresa reportou que a moagem de cana-de-açúcar de suas unidades somou 18,8 milhões de toneladas no terceiro trimestre do ano-safra 2023/24. COSAN ON caiu 6,14%, a 18,35 reais.

Continua após a publicidade

- GPA ON caiu 4,80%, a 4,76 reais, após subir mais de 22% na véspera. De pano de fundo, está nova convocação de assembleia geral extraordinária no próximo dia 22 sobre aumento do limite de capital visando uma potencial oferta de ações. Na noite de segunda-feira, o jornal Valor Econômico publicou que o grupo pode adiar a oferta pública primária de ações, citando fontes.

- VALE ON recuou 1,30%, a 70,62 reais, com nova queda do preço do minério de ferro na China após decisão do banco central chinês de pular um esperado corte de juros. O contrato de maio mais negociado na Bolsa de Mercadorias de Dalian (DCE) da China fechou em queda de 0,6%, a 938,50 iuanes (130,65 dólares) a tonelada. No setor, CSN MINERAÇÃO ON desvalorizou-se 1,87%, a 6,81 reais.

- PETROBRAS PN recuou 1,24%, a 38,10 reais, em dia de desempenho misto nos preços do petróleo. O Brent teve acréscimo de 0,18%, a 78,29 dólares por barril, enquanto o petróleo dos EUA recuou 0,39%, a 72,40 dólares por barril.

- ITAÚ UNIBANCO PN fechou em queda de 1,41%, a 32,98 reais, enquanto BRADESCO PN caiu 0,88%, a 15,73 reais e BANCO DO BRASIL ON recuou 0,57%, a 55,88 reais.

- B3 ON caiu 1,06%, a 13,98 reais. Na segunda-feira, a operadora da bolsa brasileira divulgou baixa de 13,6% no volume financeiro médio diário negociado no segmento de ações em dezembro na comparação com mesmo período em 2022.

- ELETROBRAS ON fechou em queda de 3,38%, a 42,02 reais. Analistas do Itaú BBA cortaram o preço-alvo para as ações da companhia elétrica para 53,50 reais, de 61,60 reais, para o fim de 2024, mas mantiveram recomendação "outperform".

Continua após a publicidade

- GOL PN perdeu 3,36%, a 6,90 reais, após forte tombo na véspera na esteira de notícia de que a companhia aérea está considerando fazer um pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos no próximo mês. No setor de aéreas, AZUL PN recuou 5,28%, a 12,92 reais.

- MRV ON fechou em queda de 1,27%, a 7,76 reais e CYRELA ON caiu 1,92%, a 22,43 reais. Fora do Ibovespa, Direcional caiu 0,6% e Tenda teve decréscimo de 0,1% após divulgarem prévia operacional do quarto trimestre.

- TRÊS TENTOS ON, que não pertence ao índice, fechou em alta de 5,22%, a 11,50 reais. A companhia anunciou que seu conselho de administração aprovou plano de crescimento com previsão de investimentos de cerca de 2 bilhões de reais ao longo de sete anos, de 2024 a 2030.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes