Dólar cai na sessão em meio a movimento de ajuste, mas caminha para alta semanal

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar tinha queda frente ao real nesta sexta-feira, com investidores realizando lucros, mas a moeda norte-americana caminhava para alta semanal já que persistia na cena internacional uma moderação nas apostas de cortes de juros pelo Federal Reserve.

Às 9:48 (horário de Brasília), o dólar à vista recuava 0,32%, a 4,9164 reais na venda.

Na B3, às 9:48 (horário de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento caía 0,27%, a 4,9235 reais.

"Vejo em partes um movimento técnico, com realização após as máximas de ontem; o dólar estava rondando os 4,70 no final do ano passado, então invariavelmente chama vendas quando encosta em 5,00", explicou à Reuters Fernando Bergallo, diretor de operações da FB Capital.

Na véspera, em sessão marcada por vaivém, o dólar chegou a subir para 4,9570 reais, maior patamar intradiário desde 13 de dezembro, depois que uma queda forte nos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos alimentou movimento recente de redução de apostas em um corte de juros em março pelo Fed, corroborado também por resistência das autoridades do Fed a um início precoce do afrouxamento monetário.

Os investidores agora esperam que o Fed faça cortes de 140 pontos-base na taxa de juros este ano, abaixo dos 165 pontos estimados na semana anterior. Eles também veem uma chance de aproximadamente 54% de que o primeiro corte ocorra em março, em comparação com 77% uma semana atrás.

O economista-chefe da Genial Investimentos, José Marcio Camargo, escreveu em relatório a clientes que a política monetária do Fed é "muito dependente dos dados e, desta forma, gera grande volatilidade nos preços dos ativos financeiros" conforme novas informações são divulgadas.

Na semana que vem, serão divulgados nos EUA dados de inflação acompanhados de perto pelo Federal Reserve, os do índice PCE, que podem ajudar a nortear as expectativas de mercado, disseram vários operadores nesta sexta-feira.

Continua após a publicidade

Enquanto isso, no Brasil, a economia seguiu a passos lentos na metade do quarto trimestre de 2023 e ficou estagnada em novembro, mostraram nesta sexta-feira dados do Banco Central que corroboram a perspectiva de fraqueza no final do ano passado.

O Índice de Atividade Econômica do BC (IBC-Br) teve variação positiva de 0,01% na comparação com o mês anterior, bem abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters de avanço de 0,10%, mas interrompendo três meses seguidos em território negativo.

A moeda norte-americana estava a caminho de fechar a semana em alta de 1,20% frente ao real, acumulando no mês de janeiro ganhos de 1,30% --boa parte desses concentrados nos últimos dias.

Na véspera, o dólar à vista fechou o dia cotado a 4,9321 reais na venda, em leve alta de 0,03%.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes