Conteúdo publicado há 28 dias

Boeing pressiona fornecedores a apertar parafusos após descobrir peças soltas em verificações do 737 MAX 9

A Boeing emitiu um boletim aos seus fornecedores na semana passada delineando práticas para garantir que parafusos estejam devidamente apertados, após várias companhias aéreas relatarem hardware solto durante inspeções do 737 MAX 9, de acordo com um memorando visto pela Reuters.

A fabricante de aeronaves norte-americana disse que é "imperativo" que os fornecedores atendam aos requisitos de qualidade, conforme indicado no memorando de 17 de janeiro, divulgado semanas após um acidente em que parte da fuselagem de um jato 737 MAX 9 se desprendeu em pleno voo.

"Garanta que as instruções de trabalho sejam à prova de erros e que a qualidade seja continuamente monitorada — especialmente os requisitos de torque", afirma o memorando.

O boletim sugere que os fornecedores documentem os requisitos de torque nas instruções de trabalho, exijam que os mecânicos registrem a quantidade de torque aplicada ao fixar os componentes e garantam que as ferramentas estejam devidamente calibradas para garantir que os parafusos estejam apertados de forma adequada.

A Boeing não quis comentar.

O incidente no voo da Alaska Airlines levou a Administração Federal de Aviação (FAA) dos EUA a suspender o uso de 171 aviões MAX 9 com a mesma configuração do jato envolvido na ocorrência.

O Conselho Nacional de Segurança nos Transportes ainda não determinou se os quatro parafusos que prendem o plugue da porta à fuselagem foram instalados no avião da Alaska Airlines, mas também é cedo para afirmar se parafusos ausentes ou soltos foram a causa do acidente, disse Jennifer Homendy, chefe do conselho, a repórteres na quinta-feira. A Spirit AeroSystems fabrica e instala o plugue da porta.

O presidente-executivo da Alaska Airlines, Ben Minicucci, disse em entrevista à NBC News, transmitida nesta terça-feira, que a companhia aérea encontrou durante as inspeções "alguns parafusos soltos em muitos" MAX 9.

"Minha exigência para a Boeing é: o que eles vão fazer para melhorar seus programas de qualidade internos?" disse Minicucci.

Continua após a publicidade

Os fornecedores devem "continuar a atender aos requisitos estabelecidos pela Boeing", disse o memorando. A Boeing continua a trabalhar com a FAA para retomar a operação da aeronave e está "tomando ações imediatas para fortalecer a qualidade em todo o sistema de produção do 737".

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes