P&G tem redução na projeção de lucro anual compensada por margens robustas

(Reuters) - A Procter & Gamble cortou sua previsão de lucro para o ano nesta terça-feira para refletir uma redução no valor de seu negócio Gillette, mas a capacidade da empresa de manter margens saudáveis durante o segundo trimestre impulsionou suas ações em mais de 5%.

As margens de lucro da empresa se mantiveram melhor do que o esperado, disseram analistas, mesmo com a queda de preços nos Estados Unidos. As margens permaneceram mais fortes nos mercados europeus, o que também ajudou os resultados da P&G.

A demanda pelos produtos de uso diário da companhia, especialmente nos segmentos de cuidados pessoais e domésticos, foi robusta, com o volume total da empresa aumentando 4% nos EUA e 3% na Europa.

Isso, juntamente com a redução nos custos de produção e os preços ainda elevados de seus produtos, principalmente na Europa, ajudaram a P&G a aumentar a margem bruta em 520 pontos-base no segundo trimestre.

A previsão de lucro anual da P&G, contudo, foi reduzida após uma cobrança de 1,3 bilhão de dólares, divulgada em dezembro, relacionada a uma baixa contábil de seu negócio Gillette.

A empresa agora espera que o lucro do ano fiscal de 2024 varie entre queda de 1% e em linha com o lucro por ação do ano fiscal de 2023, contra previsão anterior de crescimento de 6% a 9%.

O lucro da empresa foi de 1,84 dólar por ação, superando as estimativas de ganho de 1,70 dólar por papel.

(Reportagem de Ananya Mariam Rajesh em Bengaluru)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora