Ministro defende regulação de EAD e criação de órgão regulador para ensino superior privado

(Reuters) - O ministro da Educação, Camilo Santana, defendeu nesta sexta-feira uma regulação e uma organização da oferta de cursos superiores com ensino à distância (EAD) e a criação de um órgão regulador para fiscalizar os cursos superiores de instituições privadas de ensino no país.

Em entrevista coletiva em Brasília, que contou com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro afirmou que 80% das ofertas de matrículas em curso superior eram de EAD e afirmou que o ministério já rejeitou, por exemplo, pedidos de criação de cursos superiores de enfermagem e medicina com ensino à distância.

(Por Eduardo Simões, em São Paulo)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes