FMI reduz previsão de crescimento do PIB da Argentina em 2024; revisão pesa em cenário para América Latina

NOVA YORK (Reuters) - O Fundo Monetário Internacional piorou sua projeção de crescimento econômico para a Argentina em 2024 para uma contração de 2,8%, ante uma expansão de 2,8% estimada antes, afetando o cenário para o crescimento na América Latina como um todo.

Na atualização de seu relatório Perspectiva Econômica Global, divulgada nesta terça-feira, o FMI prevê um crescimento do Produto Interno bruto de 1,9% este ano para a região da América Latina e Caribe, 0,4 ponto percentual abaixo da estimativa de outubro.

Isso mesmo depois de o Fundo ter melhorado a perspectiva para o crescimento de Brasil e México, as maiores economias da região.

"A revisão das previsões (para América Latina e Caribe) em 2024 reflete contração na Argentina no contexto de ajustes significativos para restaurar a estabilidade macroeconômica", apontou o FMI.

No entanto, na sexta-feira, o novo governo da Argentina retirou importantes reformas de gastos de um projeto de lei abrangente no Congresso para facilitar a sua aprovação, ao mesmo tempo que enfatizou a promessa de eliminar o déficit do orçamento.

A revisão para baixo de 5,6 pontos percentuais na estimativa de crescimento da Argentina é de longe a maior da atualização das perspectivas do FMI.

O Brasil deverá registrar um crescimento 1,7% este ano, 0,2 ponto percentual acima da previsão de outubro, enquanto, para o México a nova projeção é de 2,7%, o que representa uma revisão para cima de 0,6 ponto percentual.

(Reportagem de Rodrigo Campos)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes