Toyota lidera ranking de montadoras pelo 4º ano seguido

Por Daniel Leussink

TÓQUIO (Reuters) - A Toyota Motor manteve pelo quarto ano consecutivo a coroa de maior montadora do mundo após recorde de vendas anuais de 11,2 milhões de veículos em 2023.

A montadora japonesa teve alta de 7,2% nas vendas globais no ano passado, incluindo a fabricante de microcarros Daihatsu e a unidade de caminhões Hino Motors.

Essas duas subsidiárias e a afiliada Toyota Industries foram afetadas por problemas de governança envolvendo teste de certificação para carros e motores que poderiam prejudicar a reputação global da marca em termos de qualidade e segurança.

"Gostaria de expressar minhas mais sinceras desculpas aos nossos clientes e partes interessadas pelo incômodo e preocupação causados pelas sucessivas irregularidades na Hino Motors, Daihatsu e Toyota Industries", disse o presidente da Toyota, Akio Toyoda, a jornalistas em um evento para anunciar uma visão para o grupo Toyota fundado por seu bisavô, que agora inclui 17 empresas.

Uma das cinco atitudes estabelecidas pela administração como meta para os funcionários é: "Ser honesto e fazer as coisas de maneira correta."

A empresa disse que o evento, originalmente planejado para 14 de fevereiro, aniversário do falecido fundador do grupo, Sakichi Toyoda, foi antecipado à luz das recentes irregularidades nas empresas Toyota.

VENDAS

As vendas globais do grupo Toyota ultrapassaram 10 milhões de veículos em nove dos últimos 10 anos, exceto em 2020, diante dos impactos da pandemia.

Continua após a publicidade

A Volkswagen, segunda colocada no ranking, informou este mês um aumento de 12% nas vendas do ano passado, para 9,2 milhões de veículos.

Os dados desta terça-feira mostram que as vendas de veículos somente da matriz da Toyota, que incluem a marca homônima e a Lexus, atingiram um recorde de 10,3 milhões de veículos em 2023.

Os híbridos gasolina-elétricos representaram cerca de um terço desses veículos. Os veículos elétricos a bateria representaram menos de 1%.

A Toyota, no entanto, corre o risco de desacelerar o ritmo de vendas do grupo depois que a Daihatsu suspendeu, no mês passado, as vendas de todos os seus carros, após uma investigação de segurança ter encontrado problemas envolvendo 64 modelos, incluindo quase duas dúzias vendidos sob a marca Toyota.

A Daihatsu disse nesta terça-feira que sua produção global caiu 25%, para 121 mil veículos em dezembro, e as vendas mundiais caíram cerca de 8% no período. O Ministério dos Transportes do Japão suspendeu a proibição de vendas de 10 carros fabricados pela Daihatsu no início do dia.

Na segunda-feira, a Toyota suspendeu vendas de alguns modelos, incluindo a caminhonete Hilux e o utilitário esportivo Land Cruiser 300, depois que um painel independente descobriu irregularidades nos testes de motores a diesel desenvolvidos pelo fornecedor Toyota Industries.

Continua após a publicidade

Em 2022, outro comitê encarregado de investigar um escândalo de emissões na Hino Motors descobriu que a unidade de caminhões havia falsificado dados de emissões de motores desde 2003.

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447753))

REUTERS AAJ

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes