Ações da China aceleram queda em meio a vendas e pessimismo dos investidores

XANGAI (Reuters) - As ações chinesas caíram ainda mais nesta sexta-feira, com o índice de referência de Xangai registrando sua pior semana em cinco anos, em meio a sinais de vendas de pânico e liquidação forçada de algumas negociações.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, fechou com queda de 1,18%, atingindo uma nova mínima desde janeiro de 2019, já que medidas de suporte não conseguiram animar os investidores.

O índice de Xangai caiu 1,46% e perdeu 6,2% na semana, o pior resultado desde outubro de 2018. O índice Hang Seng, de Hong Kong, teve baixa de 0,21%.

"O mercado acelerou sua tendência de queda, apesar do apoio da equipe nacional", disse Yang Delong, economista-chefe da First Seafront Fund Management.

"Os sinais de liquidação forçada de derivativos e negociações de margem também aceleraram o declínio do mercado e causaram pânico entre alguns investidores."

Em um sinal de que os investidores apoiados pelo Estado ajudaram a conter a queda do mercado, vários fundos negociados em bolsa (ETFs) de primeira linha, que são ferramentas preferidas do fundo estatal Central Huijin, registraram compras pesadas durante a última hora de negociação.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,41%, a 36.158 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,21%, a 15.533 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 1,46%, a 2.730 pontos.

Continua após a publicidade

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 1,18%, a 3.179 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 2,87%, a 2.615 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 0,51%, a 18.059 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 1,17%, a 3.179 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 1,47%, a 7.699 pontos.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes