Nova falha de qualidade atrasará algumas entregas do Boeing 737 MAX

Por Tim Hepher e Valerie Insinna

(Reuters) - A Boeing disse no domingo que trabalhará mais em cerca de 50 aviões 737 MAX ainda não entregues, potencialmente atrasando algumas entregas de curto prazo, depois que seu fornecedor Spirit AeroSystems descobriu dois furos mal feitos em algumas fuselagens.

A Boeing confirmou as descobertas em resposta a uma consulta da Reuters, depois que fontes do setor disseram que um problema de espaçamento havia sido encontrado em furos feitos em uma estrutura de janela em alguns jatos.

A Boeing, que vem sendo criticada por órgãos reguladores e companhias aéreas desde a explosão, em 5 de janeiro, de um plugue de porta em um 737 MAX 9, disse que a segurança não foi afetada e que os 737s existentes podem continuar voando.

"Na quinta-feira passada, um fornecedor nos notificou sobre uma não conformidade em algumas fuselagens de 737. Quero agradecer a um funcionário do fornecedor que sinalizou para seu gerente que dois furos podem não ter sido feitos exatamente de acordo com nossas exigências", disse o presidente-executivo da Boeing Commercial Airplanes, Stan Deal, em uma carta à equipe, referindo-se à Spirit, que é a única fornecedora de fuselagem do 737.

"Embora essa condição em potencial não seja um problema imediato de segurança de voo e todos os 737s possam continuar operando com segurança, atualmente acreditamos que teremos que trabalhar mais em cerca de 50 aviões não entregues", disse Deal na carta, relatada pela primeira vez com exclusividade pela Reuters.

Joe Buccino, porta-voz da Spirit, disse à Reuters que, como parte de seu programa de gerenciamento de qualidade, um membro de sua equipe identificou um problema que não estava em conformidade com os padrões de engenharia.

"Estamos em estreita comunicação com a Boeing sobre esse assunto", disse ele.

Deal disse que a Boeing planeja dedicar vários "dias de fábrica" nesta semana na fábrica do 737 em Renton, nos arredores de Seattle, para trabalhar nos furos desalinhados e concluir outros trabalhos pendentes. Esses dias permitem que as equipes interrompam o trabalho normal e se dediquem a tarefas específicas sem interromper totalmente a linha produção.

Continua após a publicidade

Espera-se que o trabalho adicional seja finalizado nos próximos dias.

Esse é o mais recente esforço da Boeing para reforçar suas operações depois que o vazamento em um jato da Alaska Airlines chamou a atenção para os controles de qualidade.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes