CCR quer abolir dinheiro vivo em pedágios até 2026, diz presidente

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente-executivo da CCR, Miguel Setas, afirmou nesta quarta-feira que a empresa de concessões em transportes tem o objetivo de abolir o uso de dinheiro vivo em seus pedágios até 2026, recebendo os pagamentos apenas por meios digitais.

Em evento do BTG Pactual em São Paulo, Setas afirmou que a CCR tem "no radar" investimentos da ordem de 180 bilhões de reais "nos próximos anos", mencionando a previsão de leilões de concessões no Brasil, mas não entrou em detalhes.

(Por Lisandra Paraguassu)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes