Lucro da Auren recua no 4º tri, para R$107,6 milhões

SÃO PAULO (Reuters) - A geradora renovável Auren fechou o quarto trimestre de 2023 com um lucro líquido de 107,6 milhões de reais, 95,6% abaixo do registrado um ano antes, segundo balanço divulgado nesta quarta-feira.

A queda na última linha do balanço reflete o impacto, no resultado financeiro do período, da atualização monetária da indenização recebida pela Auren por ativos da usina hidrelétrica Três Irmãos.

Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da elétrica controlada por Votorantim e CPP Investments somou 508,1 milhões de reais no último trimestre de 2023, recuo de 4,8% na base anual.

No consolidado de 2023, a Auren viu crescimentos de 7,4% na receita líquida (6,2 bilhões de reais) e de 9,7% do Ebitda ajustado (1,8 bilhão de reais), puxado por melhores resultados na comercialização de energia elétrica e pela entrada em operação de novos parques eólicos.

No ano de 2023, a companhia teve prejuízo líquido de 317,7 milhões de reais, pela contabilização de despesas com os impostos sobre o ganho com a indenização de Três Irmãos, contabilizada no balanço no fim de 2022.

Em relatório que acompanha o balanço, os executivos da Auren destacaram o avanço da companhia no setor de geração de energia, com o início das operações de uma usina solar no Piauí, em projeto que opera de forma associada a uma usina eólica do grupo, compartilhando a mesma infraestrutura de transmissão.

A administração também disse que a geradora está em "posição financeira confortável", com alavancagem financeira de 1,8 vez a dívida líquida sobre Ebitda, para continuar avaliando "novas oportunidades de investimento", em linha com a estratégia de crescimento em geração e comercialização de energia.

(Por Letícia Fucuchima; edição de Roberto Samora)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes