Ibovespa fecha em queda com Petrobras e Vale em dia cheio de balanços

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em queda nesta sexta-feira, pressionado principalmente pela queda das ações da Petrobras e da Vale, com agentes financeiros repercutindo também uma nova bateria de notícias corporativas, incluindo resultado e previsões do Banco do Brasil.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 0,15 %, a 128.025,7 pontos, mas acumulou na semana alta de 0,66%. Na máxima do dia, chegou a 128.895,67 pontos. Na mínima, marcou 127.579,4 pontos.

O volume financeiro somou 23,76 bilhões de reais, em véspera de feriados no Brasil, com a B3 retomando os negócios apenas na quarta-feira.

"O índice precisa superar os 130.500 pontos para retomar o movimento de alta e buscar as regiões de 132.000 e a máxima de dezembro, em 134.400 pontos", afirmaram analistas do Itaú BBA no relatório Diário do Grafista nesta sexta-feira.

"Do lado da baixa, a região de 126.400 pontos é o sinal de alerta para o investidor. Se perder esse suporte, o índice sairá da tendência de alta e encontrará próxima importante região em 124.800 pontos, outro ponto crucial que se perdido, poderá dar início à primeira tendência de baixa de curto prazo em 2024."

Em Wall Street, o S&P 500 avançou 0,57% e fechou acima da marca dos 5 mil pontos pela primeira vez, embalado pelas chamadas ações "megacap", entre elas Nvidia, em movimento ainda endossado por resultados fortes e revisões modestas de dados de inflação de 2023.

"A bolsa brasileira, por outro lado, não conseguiu se aproveitar do bom humor externo diante dos desempenhos negativos de Vale e Petrobras", afirmou a Guide Investimentos em nota a clientes.

DESTAQUES

Continua após a publicidade

- PETROBRAS PN recuou 1,34%, a 41,30 reais, apesar da alta dos preços do petróleo no exterior, com o barril de Brent encerrando com acréscimo de 0,69%. Fontes afirmaram à Reuters que o Ministério de Minas e Energia enviou à companhia ofício indicando a recondução dos seis membros que representam a União no conselho de administração da petrolífera.

- VALE ON caiu 0,44%, a 65,92 reais, sem a referência dos futuros do minério de ferro na China, com a Dalian Commodity Exchange fechada em razão de feriado no país asiático. Na véspera, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a criticar a Vale, cobrando ações de reparação e compensação por rompimentos de barragens de rejeitos de minério de ferro em Minas Gerais e defendeu a realização de um "acordo justo" por Mariana (MG).

- ITAÚ UNIBANCO PN fechou em alta de 1,27%, a 34,29 reais. BRADESCO PN caiu 0,74%, a 13,46 reais, com agentes financeiros ainda digerindo os resultados e projeções de ambos apresentados nessa semana.

- BANCO DO BRASIL ON cedeu 1,66%, a 57,57 reais, mesmo após lucro acima do esperado pelo mercado no quarto trimestre, previsões para 2024 consideradas "sólidas" por analistas e aumento no payout para o ano corrente. Os papéis tinham atingido máximas históricas mais cedo na semana, em parte na expectativa pelos resultados.

- 3R PETROLEUM ON perdeu 3,82%, a 28,19 reais. Na noite da véspera, a petrolífera disse que recebeu carta da acionista Maha Energy solicitando a convocação de assembleia geral extraordinária (AGE) para destituir os atuais membros do conselho de administração. A Maha possui uma participação acionária equivalente a 5% do capital social da 3R.

- ALPARGATAS PN subiu 7,48%, a 8,62 reais, em dia de forte ajuste, revertendo as perdas acumuladas em fevereiro até a véspera, de 6,53%. Em janeiro, os papéis já tinham recuado mais de 15%. A dona da marca Havaianas reportou na última quarta-feira um prejuízo líquido consolidado de 1,6 bilhão de reais no quarto trimestre, após prejuízo de 21 milhões de reais um ano antes.

Continua após a publicidade

- MULTIPLAN ON caiu 3,01%, a 26,43 reais, uma vez a companhia reportou Ebitda de 393,1 milhões de reais no último trimestre de 2023, resultado abaixo das previsões de analistas, de 463,5 milhões de reais, segundo dados da LSEG.

- SÃO MARTINHO ON encerrou com declínio de 2,74%, a 26,64 reais, conforme seu lucro líquido caiu 51%, para 210,6 milhões de reais no terceiro trimestre da safra 2023/24 (outubro/dezembro).

- MRV&CO ON avançou 6,87%, a 7,16 reais, em dia de recuperação, após fechar em baixa de quase 9,5% na véspera. Analistas do Itaú BBA afirmaram que o tombo criou um ponto de entrada atrativo para investidores buscando adicionar beta a seus portfólios.

Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em

(Por Paula Arend Laier)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes