Petróleo sobe devido a tensões geopolíticas

Por Georgina McCartney

HOUSTON (Reuters) - Os preços do petróleo ficaram mais altos na terça-feira, com a continuação das tensões geopolíticas no Oriente Médio e no leste da Europa, mas os ganhos foram limitados, uma vez que o Federal Reserve dos EUA deve esperar mais tempo para cortar as taxas de juros, segundo avaliações do mercado.

Os contratos futuros do Brent terminaram com alta de 0,77 dólar, ou 0,94%, em 82,77 dólares por barril. O petróleo WTI avançou 0,95 dólar, ou 1,24%, em 77,87 dólares por barril.

Os preços do petróleo ficaram quase estáveis nas negociações de segunda-feira, depois de ganharem 6% na semana passada, com o conflito no Oriente Médio mantendo os preços elevados.

Os Estados Unidos rejeitaram a sugestão do presidente russo, Vladimir Putin, de um cessar-fogo na Ucrânia, de acordo com fontes.

A rejeição "ressalta o fato de que não há realmente um fim de jogo em termos de um cessar-fogo ou de um acordo de paz até que a Ucrânia obtenha o que deseja", disse John Kilduff, sócio da Again Capital, sediada em Nova York.

"As sanções dos EUA também estão finalmente começando a surtir efeito, e estamos vendo vários países desistindo de receber suprimentos russos."

As notícias sobre a rejeição dos EUA ao cessar-fogo flutuante, além dos temores de uma nova escalada da guerra no Oriente Médio, continuaram a alimentar as preocupações com o abastecimento futuro.

As conversações envolvendo os EUA, Egito, Israel e Qatar sobre uma trégua em Gaza terminaram sem avanços na terça-feira.

Continua após a publicidade

Os formuladores de políticas do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) estão aguardando mais evidências de que as pressões sobre os preços estão diminuindo antes de cortar as taxas de juros, depois que um relatório do governo na terça-feira mostrou que a inflação ao consumidor permaneceu elevada no mês passado.

Se as preocupações com a inflação atrasarem os cortes nas taxas do Fed, isso poderá prejudicar o crescimento econômico e afetar a demanda por petróleo.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes