SpaceX, de Musk, é multada por 'quase amputação' de trabalhador nos EUA

Autoridades de segurança do trabalho dos EUA multaram a SpaceX, de Elon Musk, em 3.600 dólares (cerca de R$ 17.833) este mês, depois que um acidente em suas instalações no Estado de Washington levou a uma "quase amputação" de um trabalhador, de acordo com registros de inspeção analisados pela Reuters.

Uma investigação da Reuters no final do ano passado indicou que a empresa de foguetes de Musk desconsiderou as normas de segurança do trabalhado e as práticas padrão em suas instalações em todo o país. Por meio de entrevistas e registros do governo, a organização de notícias documentou pelo menos 600 ferimentos de trabalhadores da SpaceX não relatados anteriormente desde 2014.

A SpaceX não respondeu às perguntas da Reuters sobre nenhum dos incidentes, incluindo a morte de um trabalhador e o ferimento de outro que permanece em coma depois que seu crânio foi fraturado durante um mau funcionamento do motor de um foguete em 2022.

A empresa também não respondeu a um pedido de comentário sobre a nova multa de segurança.

Inspetores do Departamento de Trabalho e Indústrias do estado de Washington descobriram novas violações de segurança nas instalações da empresa em Redmond, Washington, em dezembro passado, em uma visita motivada por reclamações de trabalhadores, de acordo com registros de inspeção estaduais obtidos pela Reuters sob uma solicitação de registros abertos.

Um porta-voz da agência disse que a SpaceX ainda pode recorrer da decisão.

Os inspetores concluíram que a unidade não tinha um "programa de segurança completo", comunicação adequada das regras de trabalho e um sistema para "corrigir violações", segundo os registros.

A "quase amputação", como os inspetores a chamaram, ocorreu depois que um rolo de material caiu e esmagou o pé de um trabalhador.

Os gerentes da SpaceX disseram aos inspetores estaduais que se tratava de um incidente isolado e que o problema havia sido corrigido.

Continua após a publicidade

Os inspetores, no entanto, descobriram que os funcionários não eram obrigados a usar sapatos com biqueira de aço, embora os rolos de materiais que eles tinham que carregar em uma máquina tivessem ficado mais pesados — aumentando de cerca de 36 kg para 136 kg cada.

Um trabalhador do local disse aos inspetores que "a segurança pode ser negligenciada" porque a "meta da empresa é produzir o máximo possível em um curto espaço de tempo", de acordo com os registros. O trabalhador ferido disse que a máquina onde os rolos eram carregados "havia sido deliberadamente configurada de forma incorreta com o objetivo de aumentar a taxa de produção durante a fase de carregamento do material".

O trabalhador, que não foi identificado no relatório, disse aos inspetores que o assunto não foi abordado e que os funcionários de segurança da empresa não "têm a compreensão de leitura nem a competência geral para implementar um plano de segurança na unidade de Redmond".

Em um incidente separado relatado menos de 24 horas depois, um funcionário não identificado de Redmond foi hospitalizado por ter quebrado o tornozelo depois de pular de uma doca durante um alarme de incêndio, o que os inspetores disseram que a empresa não poderia ter previsto. Como resultado, a SpaceX não foi multada.

O relatório da Reuters do ano passado descobriu que as agências de segurança do trabalhador multaram a empresa de foguetes do bilionário em um total de 50.836 dólares por várias violações na última década.

O histórico de lesões e problemas regulatórios da SpaceX ressalta os limites da regulamentação de segurança do trabalhador. As multas são limitadas por lei e representam pouco impedimento para as grandes empresas, de acordo com especialistas em segurança do trabalhador dos EUA.

Continua após a publicidade

Os órgãos reguladores federais e estaduais também sofrem com a falta crônica de inspetores, segundo eles.

A Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço dos EUA (Nasa), que pagou à SpaceX mais de 11,8 bilhões de dólares como empreiteira espacial privada, não respondeu a perguntas sobre o assunto.

A agência espacial tem se recusado repetidamente a comentar sobre o histórico de segurança da empresa, dizendo apenas que a agência tem a opção de aplicar as disposições contratuais que exigem que a SpaceX "tenha um programa e uma cultura de segurança robustos e eficazes".

No mês passado, a esposa do trabalhador que está em coma depois que seu crânio foi fraturado entrou com um processo por negligência contra a empresa. A Nasa e a SpaceX não comentaram sobre essa queixa.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes