Mais de 1 milhão de consumidores continuam sem energia no Texas após furacão Beryl

Por Arathy Somasekhar e Curtis Williams e Liz Hampton

HOUSTON/FREEPORT (Reuters) - Cerca de 1,3 milhão de residências e empresas no Texas permaneceram sem energia elétrica nesta quinta-feira, quatro dias após o furacão Beryl ter atingido o Estado com ventos fortes e inundações, gerando frustração entre empresas, autoridades e residentes que estavam enfrentando calor extremo.

Cerca de 1,1 milhão dos que estavam sem energia eram clientes da CenterPoint Energy, maior fornecedora do Estado. Outros 1,17 milhão de clientes foram restabelecidos desde a chegada do Beryl perto de Matagorda, Texas, informou a empresa.

O lento restabelecimento da energia continua dificultando os esforços de algumas empresas para que as operações voltem rapidamente ao normal, especialmente em Freeport, um dos maiores centros de energia do Texas. No entanto, a maioria das empresas de petróleo e gás teve as operações normalizadas depois que o Beryl atingiu a costa como uma tempestade de categoria 1.

A Freeport LNG, a terceira maior produtora de gás natural liquefeito (GNL) dos EUA, não reiniciou as operações de processamento de gás depois de fazer preparativos iniciais na quarta-feira, segundo fontes.

Nenhuma embarcação estava atracada nos berços da empresa de GNL, mas muitas equipes de restabelecimento de energia estavam trabalhando na área, de acordo com uma testemunha da Reuters.

A empresa não forneceu uma atualização sobre suas operações desde domingo, quando disse que reduziu a produção em sua instalação de liquefação e que pretendia retomar as operações assim que fosse seguro fazê-lo.

"A principal preocupação da semana sobre o impacto do furacão Beryl na produção de GNL dos EUA já diminuiu", disse o vice-presidente da consultoria Rystad, Wei Xiong, em uma nota a clientes.

"As usinas de liquefação e a produção de GNL dos EUA não foram em grande parte afetadas, sendo que apenas a Freeport LNG cortou a produção no fim de semana", acrescentou ele.

Continua após a publicidade

A Costa do Golfo do Texas abriga grandes instalações de processamento de petróleo e gás, além de fábricas de exportação e fabricantes de produtos químicos. O Texas é responsável por 40% da produção de petróleo dos EUA e 20% da produção de gás natural do país.

Refinarias, locais de produção offshore e portos sofreram danos limitados e, em grande parte, voltaram às operações normais na quinta-feira.

REVOLTA

A CenterPoint vem enfrentando escrutínio de seus preparativos antes da chegada do Beryl e de sua velocidade de reação ao evento. Em uma carta à CenterPoint, a congressista Sylvia Garcia classificou a lenta restauração da energia como uma crise de saúde pública.

A concessionária disse na quarta-feira que esperava restaurar a energia de mais 400.000 clientes até sexta-feira e 350.000 clientes até domingo. No total, 2,26 milhões de seus clientes ficaram sem energia durante a tempestade.

"As equipes identificaram grandes danos às árvores em todo o sistema da empresa. As árvores na área da Grande Houston estavam particularmente vulneráveis devido a três anos incomuns de clima, incluindo congelamentos significativos, seca e chuvas fortes na última primavera", disse a CenterPoint em um comunicado.

Continua após a publicidade

(Reportagem de Curtis Williams, Marianna Parraga e Arathy Somasekhar em Houston, Scott DiSavino em Nova York e Liz Hampton em Denver)

Deixe seu comentário

Só para assinantes