Greve dos técnicos do Banco Central entra no quarto dia

A greve dos técnicos do Banco Central (BC) programada para durar 48 horas, já entra no quarto dia, com o Sindicato Nacional dos Técnicos do Banco Central (SinTBacen) pressionando para que seja aprovado projeto que trata da mudança de acesso à carreira de nível médio para nível superior.

A mudança está dentro do Projeto de Lei da Câmara (PLC) 36/2016, que trata do reajuste de salário de algumas carreiras do funcionalismo público. O projeto foi aprovado na integra na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, excluindo emendas que pediam a retirada na mudança de acesso à carreira.

No entanto, foi fechado acordo de lideranças para que o presidente interino Michel Temer vete qualquer matéria que não seja o reajuste. O acordo foi firmado porque qualquer alteração no texto faria com que ele retornasse à Câmara dos Deputados, atrasando a tramitação. Não só o PLC 36, mas os demais que tratavam de reajustes, foram aprovados na terça-feira.

A expectativa do SinTBacen agora é fazer com que o Ministério do Planejamento dê parecer favorável para que o pleito não seja vetado quando Temer sancionar o projeto. O sindicato tem pressionado a presidência do BC para que atue pela mudança.

Já ocorreram, ao menos, duas reuniões dos sindicalistas com o diretor Anthero Meirelles, que está ocupando a presidência do BC na ausência de Ilan Goldfajn - em viagem particular até o fim da semana.

Os técnicos no BC trabalham em áreas como meio circulante e segurança, mas, segundo o SinTBacen, devido à redução de quadros, há um desvio de funções.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos