OAB elogia decisão de Cármen Lúcia de retomar delações da Odebrecht

O presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, elogiou nesta terça-feira a decisão da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, de retomar o processo de homologação das delações de 77 executivos da Odebrecht no âmbito da Operação Lava-Jato. Os trabalhos haviam sido interrompidos com a morte do relator da Lava-Jato no Supremo, ministro Teori Zavaski, em um desastre aéreo na última quinta-feira.

"A presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, demonstra sensibilidade ao permitir que os juízes auxiliares do caso continuem o importante trabalho empreendido por Teori Zavascki. O Brasil não pode esperar a nomeação de um novo relator para que o processo tenha andamento", afimrou Lamachia, em nota.

Cármen Lúcia, plantonista durante o recesso judiciário do Supremo, tomou a decisão ontem, depois de passar horas no gabinete que era de Teori com a equipe do ministro. Os depoimentos, que deveriam ter começado na sexta-feira, um dia após a morte de Teori, devem ocorrer ao longo de toda a semana.

A presidente do STF ainda não definiu que critério adotará para escolher o novo relator dos processos da Lava-Jato na corte. A expectativa é a de que isso ocorra antes do fim do recesso do Judiciário, em 1º de fevereiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos