MST invade área da Prumo (ex-LLX) em distrito industrial no Rio

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) invadiu nesta manhã parte do terreno que serviria para a antiga LLX, que pertenceu ao grupo de EBX de Eike Batista, atualmente Prumo, construir distrito industrial na área do entorno do Porto do Açu, no Norte Fluminense.


Procurada, a Prumo informou que já iniciou processo para recuperação do terreno. Em nota, disse que "as ações de desapropriação, realizadas pelo Estado, tramitam no poder judiciário e transcorrem de acordo com a legislação brasileira".


O texto também defende investimentos locais na região. No entanto, a Prumo considera que, para que o desenvolvimento econômico aconteça na localidade, é importante que as áreas estejam livres de impedimentos para o uso industrial, "que é vocação das áreas, de acordo com o plano diretor do município e o planejamento de desenvolvimento socioeconômico do Estado do Rio de Janeiro", acrescentou a Prumo, em nota.


No país, o MST mantém 13 superintendências e a sede nacional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) ocupadas, de acordo com números fornecidos pela organização. Há ainda outras 15 ocupações de fazendas pelo país, que reivindicam o assentamento de trabalhadores rurais, acrescentou o MST.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos