Sem quórum, leitura do parecer sobre Temer na Câmara fica para agosto

Sem quórum para iniciar a sessão, a Câmara dos Deputados adiou nesta segunda-feira (17), novamente, a leitura do parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) pela rejeição da autorização para que o Supremo Tribunal Federal (STF) julgue a denúncia de que o presidente Michel Temer cometeu crime de corrupção passiva, ao supostamente negociar propina com a JBS.


Com isso, a leitura do parecer deve ocorrer apenas no dia 1º de agosto - o que, de toda forma, não causará problemas no cronograma previsto pelos líderes partidários, de votar a denúncia em plenário no dia 2 de agosto.


Para que o STF seja autorizado a julgar o presidente, pelo menos 342 dos 513 deputados devem votar a favor da denúncia.


A deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO), segunda secretária da Câmara, estava a postos para fazer a leitura nesta segunda-feira, último dia antes do recesso parlamentar de julho. Contudo, apenas 13 parlamentares apareceram na sessão - eram necessários pelo menos 51-e a reunião foi cancelada.


O parecer da CCJ, de autoria do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), defende que não há provas de que Temer tenha cometido crime e, portanto, não cabe autorização para que o STF o julgue. Caso aceita a denúncia pelo Judiciário, o presidente seria afastado do cargo por até 180 dias.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos