Bolsas

Câmbio

Sala de informações da Cesp abre amanhã a interessados na privatização

A sala de informações com os dados da Cesp será aberta amanhã (19) para os investidores interessados em participar do leilão de privatização da companhia.


O governo do Estado de São Paulo publicou nesta terça-feira (18), no Diário Oficial do Estado, as regras para que os interessados tenham acesso à sala de informações, que contém dados considerados fundamentais para que os investidores façam a diligência na estatal paulista.



A informação foi antecipada hoje em uma reportagem publicada no Valor.



Ainda em julho, terá início também o prazo para que os interessados solicitem visitas técnicas e reuniões com a companhia. As visitas e reuniões serão feitas em agosto, para que o leilão de privatização da companhia aconteça em setembro.


A sala de informações vai conter documentos distribuídos em três grupos. O primeiro, com menor grau de confidencialidade, vai incluir documentos de acesso geral, como demonstrações financeiras e atos societários. O segundo grupo incluirá documentos de acesso restrito, como contratos operacionais e financeiros, e não poderão ser impressos ou copiados. O grupo com documentos de maior grau de confidencialidade, terá documentos com informações restritas.


O acesso à sala de informações vai ser encerrado dois dias úteis antes da entrega de documentos para pré-identificação no leilão.


Os interessados que se cadastrarem receberão chaves de acesso para cada integrante de sua equipe, com limite de até 50 pessoas. O custo disso será de R$ 25 mil.


A publicação do edital de privatização da companhia também é prevista para agosto, um mês antes da realização do leilão.


Será apenas com a publicação do edital que serão divulgadas informações cruciais para o sucesso do leilão, como o preço mínimo da companhia e a definição sobre a divisão das indenizações que a Cesp pleiteia à União pela devolução das hidrelétricas Três Irmãos, Jupiá e Ilha Solteira.


O preço será fundamental para determinar o interesse de investidores na companhia, especialmente depois que o governo de São Paulo decidiu prosseguir na privatização sem renovar antecipadamente o contrato da hidrelétrica Porto Primavera, principal ativo da estatal, que vence em 2028. Hoje, a Cesp tem 1.654 megawatts (MW) de potência sob sua administração.


A companhia foi drasticamente reduzida depois de rejeitar as condições impostas pela Medida Provisória (MP) 579, em 2012, para renovar antecipadamente as concessões das usinas de Três Irmãos, Jupiá e Ilha Solteira. Outro ponto importante é a disputa com a União sobre as indenizações referentes à esses ativos. A estatal tem um montante não controverso a receber de cerca de R$ 2,5 bilhões, mas defende o recebimento de R$ 8,2 bilhões.


O Valor apurou que os atuais sócios da Cesp é que terão direito ao recebimento das indenizações ? e não os novos donos da companhia.


Isso não impede o governo de São Paulo de incluir no edital algum mecanismo que garanta que os compradores recebam algum percentual desses montantes no futuro, dependendo do desempenho da companhia na disputa com a União. As respostas virão em agosto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos