Bolsas

Câmbio

Ibovespa supera 71 mil pontos no maior patamar desde janeiro de 2011

A bolsa de valores pode ter entrado em um novo movimento consistente de alta, o que motiva a correção de preços de diversos ativos. O Ibovespa fechou em alta de 0,93% aos 71.133 pontos, o maior nível em pontos desde 12 de janeiro de 2011, quando marcou 71.632 pontos no final do dia. Do ponto de vista gráfico, o próximo ponto de resistência do Ibovespa seria os 72 mil pontos. A partir daí poderia haver um movimento de realização de lucros e o índice poderia voltar para o patamar entre 69 mil e 70 mil pontos. Na sequência, o próximo nível de resistência seria tentar superar os 73 mil pontos.


A bolsa já iniciou o dia mostrando vigor, ainda sob efeito de um conjunto de boas notícias divulgadas esta semana, que tem como ponto mais importante a privatização da Eletrobras. Mas os eventos que conferiram fôlego extra aos negócios foi foram a aprovação da TLP (Taxa de Longo Prazo) na Câmara dos Deputados e um movimento de compra de ações da Vale. Após a aprovação do texto-base da Medida Provisória (MP) que cria a TLP, a matéria deve seguir para o Senado na próxima terça-feira. Os investidores consideram que a aprovação da MP mostra maior força do governo do presidente Michel Temer, comprometimento com o ajuste fiscal e a possibilidade de aprovação da reforma da Previdência Social.


No caso das ações da Vale, os operadores apontam dois fatores para a elevação do preço dos papéis. O primeiro seria a valorização dos contratos futuros de minério de ferro no mercado externo o que fez com que as ações das companhias pares da mineradora fechassem em alta nas bolsas internacionais. As ações da Rio Tinto ganharam 3,06% na bolsa australiana e os papéis subiram 0,84% em Londres. Os papéis da BHP ganharam 0,46%.


A alta da ação da Vale foi potencializada também por um movimento de "short-squeeze", que é a compra de papéis para cobrir posições vendidas, detonada pela valorização recente do papel. De acordo com Leandro Martins, analista da corretora Nova Futura, os investidores que apostavam na queda das ações da Vale teriam montado posições com o preço da ação ao redor de R$ 30. Como os papéis superaram esse patamar -, foram acionadas as ordens de compra para cobrir as posições.


Os dados mais recentes da bolsa confirmam que posições vendidas vinham crescendo nos últimos dias - provavelmente por causa da reação favorável da ação aos ganhos do minério de ferro, que levaram investidores a acreditar que a trajetória positiva seria interrompida em algum momento. Os contratos em aberto de aluguel de ativos de Vale ON eram de 98.490.388 ações no dia 23 de agosto, 74% superior ao observado no dia 1º de agosto, quando esse volume estava em 56.539.932 ações. Essa evolução dá uma ideia do potencial de ajuste dos ativos.


De acordo com um relatório do Itaú, distribuído a clientes, a ação da Vale tinha um ponto de resistência a R$ 32,62 e R$ 32,95, que foi rompido nesta sessão. Hoje, a ação encerrou o pregão em R$ 33,88, alta de 4,12%, com o maior volume financeiro do Ibovespa, de R$ 681,8 milhões.


Outra ação em destaque foi a Eletrobras. Os papéis ON subiram 3,98% a R$ 19,61. Já as ações PNB tiveram alta de 1,26% cotadas a R$ 21,67. De acordo com Martins, os preços mínimos dos papéis ordinários da empresa encontrassem muito próximos das mínimas registradas no dia do anúncio de privatização, o que poderia levar à um movimento de queda de preços. "Nenhum investidor deveria comprar a ação agora porque a tendência é de queda", diz. O preço mínimo da Eletrobras ON no preço de hoje foi de R$ 18,13. A menor cotação registra no dia seguinte ao anúncio de privatização, 22 de agosto, foi de R$ 18,20.


As ações preferenciais da Gerdau Metalúrgica fecharam com baixa de 2,42% e os papéis da Gerdau recuaram 0,69%. Ontem, as ações da Gerdau Metalúrgica subiram mais de 7% com a expectativa de uma mudança na governança da empresa. Hoje, a companhia anunciou que a família Gerdau deixará a diretoria executiva para se concentrar no conselho e que Gustavo Werneck, diretor da unidade do Brasil, será o novo presidente-executivo.


Faltando menos de meia hora para o fechamento do pregão, o Ministério Público denunciou executivos do grupo Gerdau por suspeitas de irregularidades no Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), no âmbito da Operação Zelotes. O executivo André Gerdau não está na lista do MPF.


O bom humor dos investidores com o mercado de ações tem favorecido também os papéis considerados de segunda linha. As ações da Natura subiram 3,94% e fecharam a R$ 30,05, recuperando parte da queda registrada desde o anúncio da compra da Body Shop. Na ocasião a ação chegou a valer R$ 22,15. Só neste mês, os papéis já subiram 19,96% e acumulam alta de 31,21% no ano.


Fora do Ibovespa, os papéis da M.Dias subiram 7,48% para R$ 52,19 depois que o J.P. Morgan passou a recomendação para o papel de neutra para compra. O banco elevou o preço-alvo da ação de R$ 48 para R$ 55 para o final de 2018.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos