PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Setor de saúde pode ter mais consolidação se CVS comprar a Aetna

29/10/2017 17h27

A proposta da CVS Health Corp., rede de farmácias nos Estados Unidos, para comprar a empresa de seguro-saúde Aetna poderia deslanchar uma onda de negócios semelhantes no setor de cuidados com a saúde, dizem analistas.


O "The Wall Street Journal" informou na quinta-feira que a CVS fez uma oferta para comprar a Aetna por US$ 66 bilhões, um acordo que ajudaria a fortalecer as empresas contra a Amazon, que pode entrar no setor de farmácias.


A proposta fez analistas e investidores especularem sobre que companhias do setor de saúde poderiam negociar fusões.


"A onda de fusões pode estar voltando...se as conversas entre Aetna e CVS progredirem", disse Matt Borsch, analista da BMO Capital Markets, em um relatório.


Analistas dizem que outras empresas poderiam seguir o modelo da operação CVS-Aetna. Comprando a Aetna, a CVS avançaria no segmento de serviços de cuidados com a saúde, aumentaria o seu braço de administração de benefícios ligado a farmácias e teria uma nova forma de incentivar os consumidores a fazerem compras em suas lojas.


Borsch vê as seguradoras Humana, WellCare Health Plans e Centene como potenciais alvos de aquisição.


Analistas do banco de investimentos Leerink apontam a seguradora Anthem como outra empresa que poderia fechar negócio se a operação CVS-Aetna for fechada. Na semana retrasada, Anthem anunciou que abriria seu próprio braço de farmácias e teria a CVS como parceira. Anthem, provavelmente, sairia desse acordo com a CVS e procuraria outra empresa para negociar uma fusão, disse Leerink.


A Express Scripts , que tem administrado o braço de benefícios para farmácias da Anthem, tem buscado diversificar seus negócios e foi surpreendida pelo anúncio da Anthem de que lançaria sua operação própria de farmácias.


Leerink disse ainda que a Anthem poderia lançar um acordo com o UnitedHealth Group dono da OptumRx [e dono da Amil, no Brasil].


E ainda há a Amazon nesse cenário. Os analistas de SunTrust Robinson Humphrey disseram que se a Amazon de fato entrar no negócio de farmácias seria provavelmente por uma aquisição.

PUBLICIDADE