ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Santander diz que concorrência com fintechs não assusta

21/06/2018 10h35

A concorrência das fintechs e dos gigantes de tecnologia no mercado de serviços financeiros não assusta o Santander, afirmou nesta quinta-feira (21) Ana Botín, presidente global do grupo espanhol duranteevento promovido pelo banco espanhol em Londres. A executiva ponderou, no entanto, que a regulação tem de ser justa.

"Se eu tomo depósitos e faço crédito tenho de estar regulado como um banco; algo que defendemos é que as normas sejam justas para todos, não nos assusta a concorrência desde que seja justa", disse.

Ana defendeu o papel dos bancos dentro da transformação digital pela qual passa o setor. "Sempre vai haver negócios bancários, os bancos tem uma função importante por serem regulados. No final, temos uma das coisas mais importantes que é a confiança", afirmou.

O Santander, disse a executiva, é uma plataforma bancária que atua em dez países e "nos vemos com capacidade de ser uma das grandes plataformas financeiras globais". De acordo com Ana, "as pessoas têm falado muito de dados de tecnologia, mas os bancos são desde sempre empresas de tecnologia e de dados".

A presidente do Santander ressaltou que o banco tem investido e feito parcerias com fintechs na busca de inovação. "Somo o banco da Europa que mais tem investido em fintechs e esse tipo de inovação redunda em inovação para os clientes no final, sempre com garantia e confiança de um banco."

Questionada sobre a concorrência das gigantes de tecnologia que reúnem grande quantidade de informações de usuários e podem usá-las para oferecer serviços financeiros, Ana considerou que "o mais importante é que quaisquer dados [estejam acessíveis], se eu tenho dados para oferecer melhores serviços e se as plataformas também têm é importante compartilhar para que possamos oferecer melhores serviços ao consumidor."

Ana colocou a revolução digital como uma das principais estratégias do banco. "Ética e valores, a transformação digital e o impacto que têm temas como inclusão financeira e sustentabilidade são as questões que queremos atuar e ajudar a criar o mundo dos próximos dez anos", disse.

A executiva citou as inovações que o banco vem desenvolvendo nos últimos anos. "Somos a primeira entidade no mundo a lançar um sistema de pagamento internacional baseado no blockchain puro, o One Pay, que queremos oferecer futuramente ao mercado aberto."

De acordo com Ana, a tecnologia permite "fazer transferências, em alguns casos, instantâneas, e enviar valores para qualquer pessoa em qualquer lugar" e foi desenvolvida junto com uma startup.

O sistema Openbank, de banco 100% digital, também foi lembrado pela CEO do Santander. "O Openbank era um banco por meio de telefone que lançamos há 15 anos e estamos estruturando para ser nosso banco 100% digital e ser separado dos sistemas tradicionais do banco."

A primeira operação fora da Espanha do Openbank será lançada em 2019 na Argentina. "Percebemos que muitas pessoas jovens que não precisam ir a agências e na Argentina achamos que há um mercado para o banco digital", afirmou. A operação, explicou Ana, consegue atender "1 milhão de clientes com apenas 60 funcionários e isso nos permite oferecer um serviço diferenciado".

(*O repórter viajou a convite do Santander)

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia