PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Todos a Bordo

Fokker 100 da Avianca vai virar restaurante da Pan Am em Brasília

Fokker 100 será usado no Pan Am Experience Brazil - Reprodução/Aeroin
Fokker 100 será usado no Pan Am Experience Brazil Imagem: Reprodução/Aeroin

Vinícius Casagrande

Colaboração para o UOL, em São Paulo

06/09/2020 04h00

Um antigo avião da extinta Avianca Brasil vai se transformar em um restaurante em Brasília (DF) para relembrar a época de ouro da aviação. Com o nome de Pan Am Experience Brazil, a aeronave vai receber a pintura da antiga companhia aérea norte-americana e promete oferecer uma experiência completa aos clientes, que neste restaurante serão tratados como passageiros.

O avião que será utilizado é um Fokker 100 que, em março de 2014, fez um pouso de emergência no aeroporto de Brasília. Com uma pane no trem de pouso, a aeronave precisou fazer um pouso de barriga, arrastando a fuselagem na pista. Desde então, o avião estava parado no aeroporto. No último mês, ele foi transferido para um terreno na asa sul de Brasília, onde funcionará o Pan Am Experience.

No ano passado, o projeto já chegou a funcionar, mas com uma réplica de avião. O "mockup" foi montado para ser uma das atrações de uma quermesse da igreja Batista de Brasília. O projeto agradou tanto que foi ficando, até se tornar uma atração permanente. Segundo o chef de cozinha, pastor e idealizador do projeto, Ricardo Espíndola, no ano passado foram mais de mil pessoas.

Com a utilização de uma aeronave de verdade, a perspectiva é que a experiência fique ainda mais realista. Todo o ritual deverá ser mantido. A ideia é que o Pan Am Experience não seja apenas um restaurante, mas que proporcione a verdadeira sensação de voar em uma das companhias aéreas mais icônicas da época de ouro da aviação.

O projeto lembra outro semelhante que existe em Los Angeles (EUA), e utiliza o mesmo nome. Espíndola, no entanto, afirmou que os dois projetos não têm relação. Segundo ele, a opção por utilizar a marca Pan Am ocorreu por questões jurídicas, já que havia restrições para as marcas de companhias aéreas brasileiras, como Varig, Vasp ou Panair.

Como um voo de verdade

Antes de embarcar no avião, os clientes/passageiros fazem check-in, recebem seu cartão de embarque e aguardam para entrar no avião. Com todos a bordo, o avião fecha as portas e os passageiros só podem sair após o término da experiência. "É como se fosse um voo de verdade", disse Espíndola.

Apesar de ser um Fokker 100, o avião está sendo preparado para reproduzir uma parte do interior de um Boeing 707. É que a Pan Am nunca operou um Fokker 100 e foi a primeira companhia aérea do mundo a receber um avião do modelo Boeing 707.

O avião vai ser dividido em três seções: lounge, primeira classe e classe executiva. O Pan Am Experience terá capacidade para 45 pessoas. Depois do embarque, a experiência inclui vídeo de segurança, climatização e até ruído de um voo de verdade. As janelas devem receber um adesivo para simular um voo noturno.

Serviço de bordo especial

O ponto alto promete ser o serviço de bordo. O chef Ricardo Espíndola, que tem um programa semanal de culinária na Band Brasília, é o responsável pelo preparo das refeições. O cardápio pode variar de acordo com o destino de cada voo.

A experiência conta com drinque de boas-vindas, entrada, prato principal e sobremesa. Além da Pan Am, outras marcas da era de ouro da aviação também serão lembradas. Todas as louças serão das antigas companhias aéreas brasileiras Varig e Vasp. "Nesta semana, recebemos um lote de taças da Varig", afirmou Espíndola.

Segundo o chef, a experiência deve custar pouco mais de R$ 100 por pessoa. Uma parte da receita deverá ser revertida para projetos sociais, que inclui permitir a mesma experiência a crianças carentes que nunca tiveram a oportunidade de viajar de avião.

Todos a Bordo