Bolsas

Câmbio

Calculadora mostra imposto em compras no exterior; faça as contas e decida

Afonso Ferreira
Do UOL, em São Paulo (SP)

O turista que comprar moeda estrangeira no cartão de débito pré-pago, cheques de viagem (traveller checks) ou realizar saques no exterior vai pagar um valor de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) quase 16 vezes maior do que antes.

Isso porque o governo elevou, na última sexta-feira (27), a alíquota do IOF de 0,38% para 6,38% em operações deste tipo, igualando-a à alíquota cobrada em compras com cartão de crédito no exterior. A aquisição de moeda estrangeira em espécie teve o IOF de 0,38% mantido.

Compare abaixo os custos dos impostos, conforme o valor que pretende gastar e escolha a melhor opção.

CALCULE O IMPOSTO DOS SEUS GASTOS NO EXTERIOR (EM R$)
Digite o valor desejado (em R$)
  Imposto anterior Imposto atual Aumento
Cartão de Débito      
Cartão de Crédito      
Sacar no exterior com cartão de débito      
Comprar moeda estrangeira no Brasil      
Comprar moeda estrangeira no exterior      
Valores apenas do imposto, sem considerar taxas cobradas por saque
Fonte: Economista Samy Dana

Até então, a compra de cartão pré-pago ou cheque viagem em valor equivalente a R$ 1.000, por exemplo, teria uma alíquota de R$ 3,80. Hoje, a mesma transação tem cobrança de R$ 63,80 de IOF, alta de 1.579%. Veja prós e contras de cada tipo de operação financeira.

Para o economista e professor da FGV (Fundação Getulio Vargas) Samy Dana, mesmo com a alta no IOF, o cartão pré-pago ainda é mais barato do que o cartão de crédito.

Segundo ele, apesar de a alíquota ser a mesma para as duas operações, o viajante pode conseguir cotações mais baratas no cartão pré-pago dependendo da corretora de câmbio, o que não é possível no cartão de crédito.

"Além do IOF, há outras taxas embutidas na transação que podem deixá-la mais barata ou mais cara. No caso dos cartões de crédito, esse cálculo não é muito claro e, geralmente, os bancos cobram mais do que as corretoras de câmbio", diz.

O Itaú e o Santander informam que as compras feitas com cartão de crédito no exterior são convertidas pela média do dólar comercial no dia do fechamento da fatura. A Caixa afirma que a conversão é feita com a cotação do dólar no dia de vencimento da fatura. Banco do Brasil e Bradesco não informaram como é feita a cobrança.

No entanto, o economista afirma que o turista precisa pesquisar para fazer o melhor negócio.

"O cartão pré-pago tem o inconveniente de só poder ser recarregado na corretora onde foi adquirido. Por isso um estabelecimento pode oferecer condições mais vantajosas no início, mas subir o preço da cotação numa segunda recarga", diz Dana.

Nesse caso, ter cartão pré-pago de mais de uma corretora pode ser vantajoso. "Assim o turista vai comprar a moeda estrangeira de quem oferecer as melhores condições e não porque está 'preso' à corretora de câmbio", declara.

Clique na imagem e saiba os motivos do sobe e desce do dólar

Notícias relacionadas

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos