Bolsas

Câmbio

Ao VivoDireto da Bolsa

Cobertura de notícias sobre mercados, ações e investimentos no Brasil e no exterior

Euro poderia chegar a perder 10 centavos de dólar, diz Goldman Sachs

O Goldman Sachs Group Inc. diz que o euro poderia chegar a cair 10 centavos de dólar americano porque é provável que o BCE (Banco Central Europeu) aumente o estímulo que enfraquece a moeda para atingir sua meta de inflação. O banco de investimento prediz que o BCE mantenha a flexibilização quantitativa no seu ritmo atual de 60 bilhões de euros (US$ 68 bilhões) por mês até o final de 2016, uma prorrogação do plano que o banco pretendia aplicar até setembro de 2016, e que somente a encerre completamente em meados de 2017. Deixe sua opinião (Com Bloomberg) Leia Mais

Bovespa cai 1,4%, puxada por Petrobras e bancos; Gol desaba mais de 10%

Ibovespaprincipal índice da Bolsa brasileira, fechou esta segunda-feira (21) com queda de 1,43%, a 46.590,2 pontos. Na sexta-feira (18), a Bovespa tinha caído 2,65%. A queda das ações da Petrobras e dos principais bancos brasileiros, que têm grande peso sobre o Ibovespa, puxaram a baixa da Bolsa no dia. Além disso, as ações da empresa de telecomunicações Oi, da companhia aérea Gol e de sua controlada no segmento de fidelidade, a Smiles, desabaram nesta sessão. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Dólar tem 3ª alta seguida e fecha valendo R$ 3,981, apesar de ação do BC

dólar comercial teve a terceira alta seguida nesta segunda-feira (21), de 0,57%, e fechou a R$ 3,981 na venda. É o segundo maior valor atingido pelo dólar desde o início do real, sendo superado apenas pelo dia 10 de outubro de 2002, quando a moeda norte-americana encerrou na máxima histórica de R$ 3,99. Durante o dia, o dólar chegou a atingir R$ 3,999, perto do recorde de R$ 4 atingido durante a sessão. Na sexta-feira (18), o dólar subiu 1,96%, fechando a semana com alta acumulada de 2,09%. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Opção sobre ações movimenta R$ 2,3 bilhões na Bovespa

O exercício de contratos de opções sobre ações movimentou R$ 2,3 bilhões nesta segunda-feira (21), dos quais R$ 1,02 bilhão em opções de compra e R$ 1,28 bilhão em opções de venda.Opção sobre ações é um tipo de contrato de compra ou venda de ações a um preço predeterminado. Quem aposta que a ação vai ficar mais cara assume posição "comprada", para liquidar o contrato pagando um preço menor pela ação do que o da negociação da Bolsa. Quem acredita que o preço da ação vai cair assume posição "vendida" para vender as ações a um preço maior do que o do dia. A opção mais exercida foi dos contratos de compra das ações preferenciais do Itaú Unibanco (ITUB4), a R$ 27,09 por ação, com R$ 123,25 milhões. Deixe sua opinião 

Dólar sobe e passa de R$ 3,97; Bovespa opera em queda de 1,4%

O dólar comercial subia e se aproximava de R$ 4 nesta segunda-feira (21), reagindo a preocupações com as contas públicas brasileiras e eventual perda do selo de bom pagador por uma segunda agência de classificação de risco. A Bovespa operava em queda. Por volta das 15h45, a moeda norte-americana avançava 0,38%, a R$ 3,973 na venda e o Ibovespa (principal índice da Bolsa brasileira) caía 1,4%, a 46.600,12. Um maior avanço do dólar era contido, devido ao leilão de venda de até US$ 3 bilhões com compromisso de recompra anunciado pelo Banco Central para esta sessão. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Agência corta nota de crédito da siderúrgica CSN

A agência de classificação de risco Fitch reduziu de "BB" para "B+" a nota da Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3), mantendo a perspectiva para a empresa em negativa, segundo comunicado divulgado nesta segunda-feira (21). A Fitch considerou para o corte uma visão pessimista para o preço do minério de ferro no longo prazo, que passou de US$ 70 para cerca de US$ 60 a tonelada na avaliação da agência. "A este nível de preço, a companhia terá dificuldade para gerar fluxo de caixa livre mesmo se o investimento for mantido em nível suficiente apenas para manutenção." Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Alta de juros foi adiada porque riscos aumentaram, diz membro do Fed

A decisão do Federal Reserve (Fed), banco central dos Estados Unidos, de adiar o aumento da taxa de juros na semana passada foi um exercício de "gerenciamento de risco" para garantir que a recente instabilidade do mercado não se tornará um peso para a economia do país, disse nesta segunda-feira (21) o presidente do Fed de Atlanta, Dennis Lockhart. Lockhart afirmou que a preocupação não é sobre os mercados propriamente ditos, mas sim com o fato de que "a volatilidade pode ser um sintoma de mais problemas fundamentais... Achei prudente aguardar para avaliar se os recentes acontecimentos mudam o cenário". Deixe sua opinião (Com Reuters)

Com crise, BTG não recomenda Bradesco; veja ações preferidas

O BTG Pactual divulgou relatório em que comenta as ações do Bradesco (BBDC4) após encontro com investidores no papel e a direção da empresa. Os analistas afirmam que, apesar do valuation abaixo da média para o papel, é difícil se manter otimista no momento atual e, com isso, atribuem a recomendação neutra para os papéis do banco. Os analistas esperam que o PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro continue a se deteriorar, mais desdobramentos da operação Lava Jato, alta do desemprego, entre outros fatores que podem pressionar ainda mais as receitas dos bancos e qualidade de recursos. Por isso, os analistas preferem outros papéis no setor financeiro que não os bancos, como a Cielo (CIEL3), Cetip (CTIP3) e BB Seguridade (BBSE3). Deixe sua opinião (Com Infomoney) Leia Mais

Bolsa da Europa avançam; Portugal, Itália e França sobem mais de 1%

As Bolsas de Valores da Europa fecharam em alta nesta segunda-feira (21). O maior ganho da região foi de Portugal, que subiu 1,17%. O mercado de ações da Itália teve valorização de 1,12%; o da França ganhou 1,09%; o da Alemanha subiu 0,33%; e o da Espanha registrou alta de 0,10%. A Bolsa da Inglaterra fechou praticamente estável, com leve alta de 0,08%. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Dólar leva Gol e Smiles entre as maiores baixas do Ibovespa; ações caem 7%

As ações da companhia aérea Gol e de sua controlada no segmento de fidelidade, a Smiles, estão entre as maiores baixas do dia entre os papéis que integram o Ibovespa, numa sessão marcada pela influência negativa da forte valorização do dólar. Por volta das 14h25, as ações da Gol (GOLL4) caíam 7,02%, a R$ 4,24. Os papéis da Smiles (SMLE3) recuavam 7,16%, a R$ 33,96. No mesmo momento, o dólar operava perto de R$ 3,99. Deixe sua opinião (Com A Tarde) Leia Mais

Para economistas, ajuste fiscal depende de mais impostos

Para reforçar a oposição ao aumento de tributos, entidades empresariais lançam nesta segunda-feira (21) uma campanha contra a criação e o aumento de impostos pelo governo federal, dentro do esforço de ajuste fiscal. A campanha leva o sugestivo nome de "Não vou pagar o pato". Apesar de não serem a favor de mais impostos, economistas que acompanham as finanças públicas indicam, porém, ser "impossível" fechar as contas públicas a esta altura sem que parte do rombo seja coberto por tributos. Deixe sua opinião (Com A Tarde) Leia Mais

Dólar perto de R$ 4 põe BC e Tesouro em 'modo crise'

Com o dólar perto de atingir R$ 4, superando seu recorde histórico de alta, e os juros disparando no mercado de futuros, parece restar pouco à equipe econômica além de reduzir danos. Recentes intervenções do Banco Central e Tesouro parecem visar apenas impedir que se consolide a ideia de que o mercado está fora de controle. Reverter o nervosismo de forma consistente, porém, depende da presidente Dilma Rousseff e do Congresso. Deixe sua opinião (Com Bloomberg) Leia Mais

Dólar sobe e é vendido perto de R$ 3,99; Bolsa opera em baixa

O dólar comercial subia e se aproximava de R$ 4 nesta segunda-feira (21), reagindo a preocupações com as contas públicas brasileiras e eventual perda do selo de bom pagador por uma segunda agência de classificação de risco. A Bovespa operava em queda. Por volta das 13h40, a moeda norte-americana avançava 0,73%, a R$ 3,987 na venda e o Ibovespa (principal índice da Bolsa brasileira) caía 0,3%, a 47.123,77 pontos. Um maior avanço do dólar era contido, devido ao leilão de venda de até US$ 3 bilhões com compromisso de recompra anunciado pelo Banco Central para esta sessão. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Presidente da Telecom Italia confirma plano de investimento da TIM

O presidente-executivo da Telecom Italia, Marco Patuano, confirmou o plano de investimentos da controlada brasileira TIM Participações (TIMP3) apesar da situação política e econômica do Brasil. Patuano disse também a jornalistas durante um evento nesta segunda-feira (21) que a Telecom Italia está aberta a todas as opções com relação à sua unidade de torres Inwit, acrescentando que há "forte interesse" no negócio, mas nenhuma oferta sobre a mesa. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Dólar sobe e é vendido perto de R$ 3,99; Bovespa opera em queda

O dólar comercial subia e se aproximava de R$ 4 nesta segunda-feira (21), reagindo a preocupações com as contas públicas brasileiras e eventual perda do selo de bom pagador por uma segunda agência de classificação de risco. A Bovespa operava em queda. Por volta das 12h30, a moeda norte-americana avançava 0,81%, a R$ 3,99 na venda e o Ibovespa (principal índice da Bolsa brasileira) caía 0,22%, a 47.158,76 pontos. Um maior avanço do dólar era contido, devido ao leilão de venda de até US$ 3 bilhões com compromisso de recompra anunciado pelo Banco Central para esta sessão. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Dólar turismo é vendido a R$ 4,46 em corretoras de SP; euro chega a R$ 5

dólar comercial operava em alta nesta segunda-feira (21), perto de R$ 3,98, após atingir o segundo maior nível da história do real na última sexta-feira. Para especialistas, o dólar pode ficar ainda mais alto.  O dólar mais caro dificulta a vida de quem vai viajar para o exterior ou quer comprar a moeda para deixar em casa. Nas casas de câmbio de São Paulo, a moeda norte-americana já é vendida a R$ 4,46. O euro opera quase estável e chega a ser vendido a R$ 5,01. Deixe sua opinião Leia Mais

Governo quer R$ 1 bi de aeroportos privatizados em 2016

O governo conta muito com as concessões de infraestrutura em 2016 não apenas pelo efeito econômico, de aumento de investimentos privados e melhora da qualidade de serviços, mas também pelo impacto fiscal. Com o aprofundamento da recessão e as quedas sucessivas na arrecadação tradicional de impostos, a equipe econômica tem buscado todo tipo de receita extraordinária para melhorar as contas públicas. Neste caso, as privatizações de aeroportos e campos de petróleo, no ano que vem, estão entre as principais apostas. Deixe sua opinião (Com A Tarde) Leia Mais

Agência diz que setor bancário da China é tão arriscado quanto o do Brasil

Na última indicação dos ventos desfavoráveis que atingem a economia da China, a Standard & Poor's avaliou que o setor bancário do gigante asiático enfrenta riscos crescentes ligados ao aumento no volume de empréstimos inadimplentes e a problemas no setor imobiliário. Em relatório, a S&P revisou sua visão dos riscos que os bancos chineses enfrentam, de estável para negativa. Com isso, o setor bancário da China é agora considerado tão arriscado quanto os de países como Brasil, Colômbia, Índia, Espanha e África do Sul. Deixe sua opinião (Com A Tarde) Leia Mais

Varejo de material de construção cai 6% em agosto

As lojas menores de materiais de construção sentiram com mais força os reflexos da crise em agosto, segundo a Anamaco (associação de comerciantes do setor). Os varejistas de pequeno e médio portes tiveram retração real nas vendas de 6% e 2%, respectivamente, em relação ao mesmo mês do ano anterior. Nas grandes redes, houve alta de 4%. Deixe sua opinião (Com Folha de S.Paulo) Leia Mais

Dólar sobe e passa de R$ 3,97; Bovespa opera em queda

O dólar comercial subia e se aproximava de R$ 4 nesta segunda-feira (21), reagindo a preocupações com as contas públicas brasileiras e eventual perda do selo de bom pagador por uma segunda agência de classificação de risco. A Bovespa operava em queda. Por volta das 11h25, a moeda norte-americana avançava 0,39%, a R$ 3,974 na venda e o Ibovespa (principal índice da Bolsa brasileira) caía 0,15%, a 47.191,34 pontos. Um maior avanço do dólar era contido, devido ao leilão de venda de até US$ 3 bilhões com compromisso de recompra anunciado pelo Banco Central para esta sessão. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Petrobras divulga prospecto de oferta de títulos de dívida de R$ 3 bi

A Petrobras (PETR4) divulgou nesta segunda-feira (21) o prospecto preliminar de sua oferta pública de debêntures (títulos de dívida) simples, não conversíveis em ações, no valor inicial R$ 3 bilhões, com data de emissão de 15 de outubro. O lote adicional pode chegar a 20% do previsto inicialmente, enquanto o lote suplementar pode ser de 15% do inicial, acrescentou a companhia. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Ritmo do PAC é o mais lento desde 2011

A paralisação generalizada de obras federais está refletida nos desembolsos feitos ao longo deste ano pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A pedido do jornal o "Estado de S. Paulo", a organização Contas Abertas reuniu os dados sobre a execução orçamentária da principal vitrine de investimentos do governo, desde o seu lançamento, em 2007, até os dias de hoje. O cenário mostra a crescente desidratação dos investimentos. Entre janeiro e agosto deste ano, a execução do PAC atingiu apenas R$ 27 bilhões, resultado que não chega a 60% do que foi executado no mesmo período do ano passado, quando os pagamentos alcançaram R$ 46 bilhões, um desempenho já ruim. Deixe sua opinião (Com A Tarde) Leia Mais

Ações da Volkswagen despencam mais de 20% com escândalo poluição nos EUA

As ações da Volkswagen despencavam mais de 20% nesta segunda-feira (21), sua maior queda histórica diária, conforme a montadora alemã era envolvida em turbulências por conta de acusações de autoridades norte-americanas de que teria falsificado informações sobre emissões de poluentes. A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos disse na sexta-feira que a maior montadora europeia usou software para carros a diesel da VW e da marca Audi que enganou reguladores na medida de emissões tóxicas, podendo enfrentar até US$ 18 bilhões em penalidades. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Dólar sobe e encosta em R$ 3,98; Bovespa opera quase estável

O dólar comercial passava a subir e se aproximava de R$ 4 nesta segunda-feira (21), reagindo a preocupações com as contas públicas brasileiras e eventual perda do selo de bom pagador por uma segunda agência de classificação de risco. A Bovespa operava quase estável. Por volta das 10h30, a moeda norte-americana avançava 0,53%, a R$ 3,979 na venda e o Ibovespa (principal índice da Bolsa brasileira) tinha leve queda de 0,03%, a 47.250,52 pontos. Um maior avanço do dólar era contido, devido ao leilão de venda de até US$ 3 bilhões com compromisso de recompra anunciado pelo Banco Central para esta sessão. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Importação de soja do Brasil pela China sobe 27,5% em agosto

A China importou 5,53 milhões de toneladas de soja do Brasil em agosto, alta de 27,5% ante o mesmo mês do ano passado, mas queda ante o volume do mês anterior, mostraram dados da alfândega chinesa nesta segunda-feira (21). Em julho, os portos chineses haviam recebido 6,37 milhões de toneladas da oleaginosa do Brasil, que embarcou volumes recordes em maio e junho e tem no país asiático seu principal comprador. No acumulado do ano, os recebimentos de soja brasileira pela China somam 27,91 milhões de toneladas, alta de 10,4%. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Preços ao produtor na Alemanha têm deflação em agosto

O índice de preços ao produtor na Alemanha recuou 1,7% em agosto, em relação ao mesmo mês de 2014. O recuo foi mais marcado do que aquele observado em julho, de 1,3%, no mesmo tipo de comparação. Os dados são do Departamento Federal de Estatísticas (Destatis) do país. Em agosto, o preço da energia cedeu 5% em comparação com o oitavo mês do ano passado e os preços dos bens de consumo não duráveis tiveram baixa de 1,5%. Bens intermediários recuaram 1%. Em contrapartida, bens de capital e bens de consumo duráveis registraram aumento, de 0,8% e de 1,4%, respectivamente. Deixe sua opinião (Com Valor) Leia Mais

'Prévia' do PIB cai 0,02% em julho e acumula queda de 2,74% no ano, diz BC

O IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), considerado uma "prévia" do PIB (Produto Interno Bruto), caiu 0,02% em julho, na comparação com junho, segundo informações divulgadas pelo Banco Central nesta segunda-feira (21). A comparação é feita já descontando as diferenças sazonais entre os meses de junho e julho. Na comparação com julho de 2014, o IBC-Br caiu 4,25%. Do começo do ano até julho, o indicador acumula queda de 2,74% e mostra perda de 1,89% em 12 meses, em números dessazonalizados. O PIB é a soma de tudo o que é produzido no país. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Dólar opera em queda, perto de R$ 3,95; acompanhe

O dólar comercial operava em queda nesta segunda-feira (21), após o Banco Central anunciar para esta sessão leilão de venda de até US$ 3 bilhões com compromisso de recompra. Por volta das 9h25, a moeda norte-americana caía 0,26%, a R$ 3,948 na venda. Além do leilão de linha, o BC também dará continuidade à rolagem dos swaps cambiais (equivalentes à venda futura de dólares) que vencem em outubro, com oferta de até 9.450 contratos. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Economistas pioram projeção do PIB, para -2,7%, e de inflação, para 9,34%

As projeções de analistas para o PIB (Produto Interno Bruto) e para a inflação no Brasil em 2015 pioraram, de acordo com levantamento divulgado nesta segunda-feira (21) pelo Banco Central. A expectativa é de que o PIB registre resultado de -2,7%. Na semana anterior, a projeção era de -2,55%. Para a inflação, a expectativa é que o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) fique em 9,34% em 2015. A previsão anterior era de 9,28%. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Comente as notícias no Direto da Bolsa

O Direto da Bolsa tem espaço para comentários. Deixe sua opinião sobre as principais notícias do dia sobre ações, câmbio e mercado financeiro no Brasil e no mundo.

Bolsas da Ásia fecham em queda, exceto a chinesa, que subiu 2%

As Bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam em queda nesta segunda-feira (21), exceto a chinesa, que subiu 1,91%, com alta de empresas com menor valor de mercado. A Bolsa da Austrália caiu 2,02%, a de Taiwan, 1,83%, a da Coreia do Sul, 1,57%, e a de Hong Kong, 0,75%. O índice japonês Nikkei não operou nesta segunda. (Com Reuters) Leia Mais

Conversor de moedas

Resultado:

Cursos Online
UOL Cursos Online

Câmbio

Dólar comercial - 22/04/2019 16h59
Compra Venda Variação
Dólar com. 3,9321 3,9328 +0,08%
Dólar tur. 3,7800 4,0900 0,0%
Euro 4,4270 4,4276 +0,15%
Libra 5,1093 5,1112 +0,04%
Pesos arg. 0,0925 0,0928 -1,28%

Fonte Thompson Reuters

Veja outras cotações

Bolsas de Valores

Bovespa - 22/04/2019 17h23 - 94.588,06
Variação
Brasil | Bovespa +0,01%
EUA | Nasdaq +0.22%
França | CAC 40 +0.31%
Japão | Nikkei -0.24%

Fonte Thompson Reuters

Veja outras cotações

Ações de destaque

Ação Variação Cotação
Veja outras cotações

Commodities

Venda Variação
Petróleo (Brent) US$ 70,470 0,0%
Ouro US$ 1275,365 +0,03%
Prata US$ 15,021 +0,19%
Platina US$ 900,860 +0,43%
Paládio US$ 1394,140 +0,15%

Fonte Thompson Reuters

Inflação

Índice Mês Valor
IPCA jul.18 +0,33%
IPC-Fipe jul.18 +0,23%
IGP-M jul.18 +0,51%
INPC jul.18 +0,25%

Fonte Thompson Reuters

Indicadores

Valor Atualização
Salário Mínimo R$ 954,00 2018
Global 40 +112,32% 23.Abr.2019
TR 0,0% 23.Abr.2019
CDI +6,4% 23.Abr.2019
SELIC +6,5% 01.ago.2018
IPCA +0,33% jul.18

Fonte Thompson Reuters

Últimas notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos