Bolsas

Câmbio

Direto da BolsaDireto da Redação

Cobertura de notícias sobre mercados, ações e investimentos no Brasil e no exterior

Não sou pré-candidato a presidente, diz Meirelles no Twitter

Após ser apontado como provável nome do PSD para a candidatura à Presidência em 2018, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, negou que seja pré-candidato ao cargo. (Com Estadão Conteúdo) Leia Mais

Bolsa sobe e bate recorde pelo 3º dia seguido; JBS avança mais de 2%

Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou esta quarta-feira (13) em alta de 0,33%, a 74.787,57 pontos, e atingiu o maior nível da história pelo terceiro dia seguido. Na véspera, a Bolsa subiu 0,3%, a 74.538,55 pontos. As ações da JBS terminaram o dia em alta de 2,35%, a R$ 8,27, apesar da prisão do presidente-executivo da empresa, Wesley Batista. (Com Reuters)  Leia Mais

Dólar sobe pelo 3º dia e fecha a R$ 3,138, com cautela sobre política

dólar comercial fechou esta quarta-feira (13) em alta de 0,29%, cotado a R$ 3,138 na venda. É o terceiro dia seguido de valorização. Na véspera, a moeda norte-americana subiu 0,81%. Influenciou a cotação de hoje a cautela dos investidores após o presidente Michel Temer voltar a ser alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal. Há suspeitas de que Temer tenha beneficiado uma empresa que atua no porto de Santos por meio da edição de um decreto de regulamentação do setor. (Com Reuters)  Leia Mais

Bolsa e dólar operam em alta; moeda é vendida perto de R$ 3,14

dólar comercial e a Bolsa operavam em alta nesta quarta-feira (13). Por volta das 16h15, a moeda norte-americana subia 0,15%, a R$ 3,134 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, se valorizava 0,66%, a 75.028,41 pontos. Na véspera, a Bolsa voltou a bater recorde, fechando acima dos 74 mil pontos pelo segundo dia seguido. Investidores monitoram a cena política brasileira após o presidente Michel Temer ter se tornado alvo de novo inquérito e depois da prisão do presidente-executivo da JBS, Wesley Batista. (Com Reuters)

Maioria das Bolsas da Europa fecha em alta; Inglaterra cai 0,28%

A maioria das Bolsas da Europa fechou em alta nesta quarta-feira (13). Veja as variações:

  • Portugal: +0,6%
  • Espanha: +0,44%
  • Alemanha: +0,23%
  • França: +0,17%
  • Itália: ficou estável
  • Inglaterra: -0,28%. (Com Reuters) 
   Leia Mais

Governo quer vender ações da Infraero na Bolsa, diz ministro

O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, confirmou nesta quarta-feira (13) que o governo tem a intenção de vender na Bolsa de Valores ações da estatal aeroportuária Infraero, "para o ingresso de recursos na empresa". Falando em audiência pública na Câmara dos Deputados, Quintella disse também que os recursos obtidos com a venda de participações minoritárias da Infraero nas concessões de aeroportos irão para o caixa da empresa. O ministro afirmou que ainda não foram definidas quais participações serão vendidas e por qual valor. (Com Reuters)

Bolsa e dólar operam em alta; moeda é vendida abaixo de R$ 3,14

dólar comercial e a Bolsa operavam em alta nesta quarta-feira (13). Por volta das 15h10, a moeda norte-americana subia 0,19%, a R$ 3,135 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, se valorizava 0,71%, a 75.068,12 pontos. Na véspera, a Bolsa voltou a bater recorde, fechando acima dos 74 mil pontos pelo segundo dia seguido. Investidores monitoram a cena política brasileira após o presidente Michel Temer ter se tornado alvo de novo inquérito e depois da prisão do presidente-executivo da JBS, Wesley Batista. (Com Reuters)

Ações da JBS operam em alta de quase 2% após prisão de Wesley Batista

As ações do frigorífico JBS (JBSS3) operavam em alta de quase 2% nesta quarta-feira (13). Mais cedo, os papéis chegaram a cair mais de 1%, após a prisão do seu presidente, Wesley Batista. Por volta das 14h20, as ações da companhia se valorizavam 1,86%, a R$ 8,23. (Com Reuters)

Dólar e Bolsa operam em alta; moeda é vendida perto de R$ 3,14

dólar comercial e a Bolsa operavam em alta nesta quarta-feira (13). Por volta das 14h10, a moeda norte-americana subia 0,37%, a R$ 3,141 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, registrava valorização de 0,36%, a 74.807,95 pontos. Na véspera, a Bolsa voltou a bater recorde, fechando acima dos 74 mil pontos pelo segundo dia seguido. Investidores monitoram a cena política brasileira após o presidente Michel Temer ter se tornado alvo de novo inquérito e depois da prisão do presidente-executivo da JBS, Wesley Batista. (Com Reuters)

Dólar sobe, vendido perto de R$ 3,14, e Bolsa opera quase estável

dólar comercial subia e a Bolsa operava quase estável nesta quarta-feira (13). Por volta das 13h15, a moeda norte-americana tinha subia 0,33%, a R$ 3,139 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, registrava leve alta de 0,05%, a 74.572,18 pontos. Na véspera, a Bolsa voltou a bater recorde, fechando acima dos 74 mil pontos pelo segundo dia seguido. Investidores monitoram a cena política brasileira após o presidente Michel Temer ter se tornado alvo de novo inquérito e depois da prisão do presidente-executivo da JBS, Wesley Batista. (Com Reuters)

Irmãos Batista evitaram prejuízo de R$ 138 mi com ações da JBS, diz PF

A Polícia Federal informou nesta quarta-feira (13) que os irmãos Joesley e Wesley Batista, que tiveram a prisão preventiva decretada, usaram informações privilegiadas para dividir com os demais acionistas da JBS prejuízo de até R$ 138 milhões.  Leia Mais

Shell vai parar de produzir petróleo no Iraque após quase um século

A Royal Dutch Shell vai encerrar a produção de petróleo no Iraque após praticamente um século, ao abandonar dois campos no país para focar em negócios mais rentáveis no desenvolvimento de recursos em gás. (Com Reuters)  Leia Mais

Dólar sobe, vendido perto de R$ 3,14, e Bolsa opera quase estável

dólar comercial subia e a Bolsa operava quase estável nesta quarta-feira (13). Por volta das 12h, a moeda norte-americana tinha subia 0,26%, a R$ 3,137 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, registrava leve queda de 0,08%, a 74.478,55 pontos. Na véspera, a Bolsa voltou a bater recorde, fechando acima dos 74 mil pontos pelo segundo dia seguido. Investidores monitoram a cena política doméstica após o presidente Michel Temer ter se tornado alvo de novo inquérito e depois da prisão do presidente-executivo da JBS, Wesley Batista. (Com Reuters)

Após cair mais de 1%, ação da JBS passa a operar em alta na Bolsa

As ações do frigorífico JBS (JBSS3) passavam a operar em alta nesta quarta-feira (13) na Bolsa. Mais cedo, os papéis chegaram a cair mais de 1%, após a prisão do seu presidente, Wesley Batista. Por volta das 11h50, as ações da companhia subiam 0,5%, a R$ 8,12. (Com Reuters) Leia Mais

Sindicato dos bancários critica Doria sobre fusão de BB e Caixa

O Sindicato dos Bancários divulgou nota criticando as declarações do prefeito de São Paulo, João Doria, que defendeu, nesta terça-feira (12), a fusão do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal. (Com Valor)  Leia Mais

Preço da gasolina sobe e atinge recorde de R$ 3,85 para o consumidor

O preço médio da gasolina para o consumidor brasileiro atingiu na semana passada o valor recorde no ano de R$ 3,850 por litro. Os dados são do Levantamento de Preços e de Margens de Comercialização de Combustíveis da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), feito entre os dias 3 e 9 deste mês e divulgado na terça-feira (12). (Com Agência Brasil) Leia Mais

Governo quer cortar um terço das empresas estatais

A nova rodada de privatização das estatais federais vai reduzir em um terço o número de companhias do governo, nos cálculos do secretário de Coordenação e Governança das Empresas Estatais do Ministério do Planejamento, Fernando Ribeiro Soares. (Com Estadão Conteúdo)  Leia Mais

Ações da JBS operam em queda após prisão de Wesley Batista

As ações do frigorífico JBS (JBSS3) operavam em queda nesta quarta-feira (13), após a prisão do seu presidente, Wesley Batista. Por volta das 11h, os papéis da companhia se desvalorizavam 0,87%, a R$ 8,01. Batista foi preso por conta de operações realizadas pela J&F, holding controladora da JBS, às vésperas da divulgação do acordo de delação premiada com a PGR (Procuradoria Geral da República). Segundo a PF, há indícios do uso de informações privilegiadas em transações no mercado financeiro, o que teria resultado em lucros extraordinários para ele e seu irmão Joesley. (Com Reuters) Leia Mais

Bolsa e dólar operam quase estáveis; moeda é vendida perto de R$ 3,13

dólar comercial e a Bolsa operavam quase estáveis nesta quarta-feira (13). Por volta das 11h, a moeda norte-americana tinha leve alta de 0,03%, a R$ 3,13 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, registra leve ganho de 0,08%, a 74.598,93 pontos. Na véspera, a Bolsa voltou a bater recorde, fechando acima dos 74 mil pontos pelo segundo dia seguido. Investidores monitoram a cena política doméstica após o presidente Michel Temer ter se tornado alvo de novo inquérito e depois da prisão do presidente-executivo da JBS, Wesley Batista. (Com Reuters)

Uso de informação privilegiada: entenda acusação que levou Wesley à prisão

Foi preso nesta quarta-feira (13) o executivo Wesley Batista, sócio e presidente da J&F, que controla o frigorífico JBS. Um dos irmãos dele, Joesley, que já estava preso desde o fim de semana, teve a prisão temporária, de cinco dias, convertida em preventiva, sem prazo determinado. Os dois são suspeitos de usar informações privilegiadas e manipular o mercado financeiro, segundo a Polícia Federal.  Leia Mais

Ações da JBS operam em queda após prisão de Wesley Batista

As ações do frigorífico JBS (JBSS3) operavam em queda nesta quarta-feira (13), após a prisão do seu presidente, Wesley Batista. Por volta das 10h10, os papéis da companhia se desvalorizavam 0,37%, a R$ 8,05. Batista foi preso por conta de operações realizadas pela J&F, holding controladora da JBS, às vésperas da divulgação do acordo de delação premiada com a PGR (Procuradoria Geral da República). Segundo a PF, há indícios do uso de informações privilegiadas em transações no mercado financeiro, o que teria resultado em lucros extraordinários para ele e seu irmão Joesley. (Com Reuters)

Bolsa e dólar operam quase estáveis; moeda é vendida acima de R$ 3,12

dólar comercial e a Bolsa operavam quase estáveis nesta quarta-feira (13). Por volta das 10h10, a moeda norte-americana tinha leve queda de 0,16%, a 3,124 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, tinha leve alta de 0,1%, a 74.615,42 pontos. Investidores monitoram a cena política doméstica após o presidente Michel Temer ter se tornado alvo de novo inquérito e depois da prisão do presidente-executivo da JBS, Wesley Batista. (Com Reuters)

Após 3 altas, setor de serviços cai e tem pior julho desde 2012

Após três meses de alta, o setor de serviços recuou 0,8% em julho, na comparação com junho, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (13). Esse foi o pior resultado para o mês desde que a série histórica foi iniciada, em 2012. A última vez em que o setor registrou perdas foi em março, de 2,3%. Na comparação com julho de 2016, o setor de serviços encolheu 3,2%. Com esses resultados, a taxa acumulada no ano ficou em -4% e, em 12 meses, em -4,6%. O setor de serviços inclui, por exemplo, salões de beleza, imobiliárias, oficinas mecânicas, escritórios de advocacia, agências de turismo, companhias aéreas e hotéis, entre outros. (Com Reuters) Leia Mais

Maioria das Bolsas da Ásia fecha em queda; China sobe 0,18%

As Bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam em queda nesta quarta-feira (13), exceto a da China. O mercado chinês subiu para perto do nível máximo em 20 meses, com o crescimento econômico sólido e as expectativas de novas reformas reforçando a confiança dos investidores. Veja as variações das Bolsas da região:

  • Japão: -0,45%
  • Hong Kong: -0,28%
  • China: +0,18%
  • Coreia do Sul: -0,22%
  • Taiwan: -0,73%
  • Cingapura: -0,16%
  • Austrália: -0,04%. (Com Reuters)
Leia Mais

Conversor de moedas

Resultado:

Câmbio

Dólar comercial - 19/09/2017 16h59
Compra Venda Variação
Dólar com. 3,1354 3,1361 +0,02%
Dólar tur. 3,1200 3,3100 +0,3%
Euro 3,7594 3,7606 +0,28%
Libra 4,2336 4,2358 +0,04%
Pesos arg. 0,1829 0,1833 -0,16%

Fonte Thompson Reuters

Veja outras cotações

Bolsas de Valores

Bovespa - 19/09/2017 17h20 - 75.974,18
Variação
Brasil | Bovespa -0,02%
EUA | Nasdaq +0.10%
França | CAC 40 +0.16%
Japão | Nikkei +1.96%

Fonte Thompson Reuters

Veja outras cotações

Commodities

Venda Variação
Petróleo (Brent) US$ 57,640 +2,45%
Ouro US$ 1311,370 0,0%
Prata US$ 17,340 0,0%
Platina US$ 958,000 0,0%
Paládio US$ 914,500 0,0%

Fonte Thompson Reuters

Inflação

Índice Mês Valor
IPCA ago.17 +0,19%
IPC-Fipe ago.17 +0,1%
IGP-M ago.17 +0,1%
INPC ago.17 -0,03%

Fonte Thompson Reuters

Indicadores

Valor Atualização
Salário Mínimo R$ 937,00 2017
Global 40 +112,32% 19.Set.2017
TR 0,0% 19.Set.2017
CDI +8,14% 19.Set.2017
SELIC +8,25% 06.set.2017
IPCA +0,19% ago.17

Fonte Thompson Reuters

Últimas notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos