Bolsas

Câmbio

Reclama do seu chefe, mas será que você está fazendo sua parte na empresa?

Daniela do Lago

Daniela do Lago

  • Getty Images

Realmente não é nada fácil exercer a liderança. Só sabe a complexidade da função quando se assume tal posto. Segundo minha prática, raramente os profissionais são preparados para assumir cargo de liderança antes de exercê-lo na empresa.

O chefe sempre foi alvo certeiro da reclamação de muitos funcionários que não se esforçam para entender seus dilemas e dificuldades para ajustar interesses pessoais de cada colaborador com os interesses da empresa.

Como se todos os problemas da empresa se resolvessem se não tivesse o chefe! Grande ilusão. Segue abaixo uma carta que todo chefe deveria enviar a seus colaboradores para relembrá-los sobre as razões de sua contratação:

Caro empregado,

Você foi contratado para cuidar das necessidades que consideramos urgentes. Se pudéssemos deixar de contratá-lo, teríamos tomado a decisão. Mas chegamos à conclusão de que precisávamos de alguém com sua competência e experiência, e que você era a pessoa mais indicada para nos ajudar.

No seu trabalho, você tem muitas ocupações: responsabilidades gerais, tarefas específicas, projetos individuais e em grupo. Também tem muitas chances de se sobressair e de confirmar que nós fizemos uma boa escolha ao contratá-lo. 

Contudo, há uma responsabilidade da maior importância que talvez nunca lhe seja solicitada diretamente, mas que você precisa ter sempre em mente durante todo o tempo em que estiver conosco: "Faça sempre o que tem de ser feito, não espere que lhe peçam". 

Nós o contratamos para fazer um excelente trabalho, porém, mais importante que isso: nós o contratamos para pensar, usar seu discernimento e agir segundo o interesse da empresa em todos os momentos.

Tente fazer disso um princípio orientador no seu trabalho, uma filosofia que esteja sempre com você, guiando constantemente seus pensamentos e ações: "Você tem nossa permissão de agir na defesa de nossos interesses mútuos".

Se, em qualquer momento, sentir que nós não estamos fazendo a coisa certa, a coisa que você acredita que ajudaria a todos nós, por favor, diga.

Você deve emitir sua opinião quando necessário e declarar o que não foi declarado, dar uma sugestão ou questionar uma ação ou decisão. Importante que seja direto e diga abertamente o que pensa. É improdutivo reclamar pelos corredores e para os colegas. Sem contar que isso contamina o clima que tanto você valoriza.

Isso não quer dizer que nós sempre concordaremos com você, nem que mudaremos necessariamente o que estamos fazendo, mas vamos querer saber o que você acredita que nos ajudaria a atingir nossas metas e propósitos e criar uma experiência de sucesso mútuo nesse processo.

Você deve tentar compreender como e por que as coisas são feitas como são, antes de tentar mudar o processo de trabalho existente. Tente trabalhar com os sistemas existentes em primeiro lugar, mas fale quando achar que eles devem ser mudados.

Quero que entenda que nossa relação trabalhista é de troca, em que a minha parte é servi-lo para que tenha boas condições de exercer excelente trabalho e seja recompensado por isso, e a sua parte é desempenhar com maestria suas competências para fazer o que tem que ser feito, porém ambos temos um mesmo objetivo: sucesso profissional.

Atenciosamente,
Seu Gerente

Pense sobre conteúdo dessa carta e tenha empatia pelo seu chefe. Num próximo artigo vamos escrever uma carta sua para seu chefe, que tal? O que estaria escrito nela? Compartilhe, vou adorar ouvi-lo.

Daniela do Lago

Daniela do Lago é especialista em comportamento no trabalho, coach de carreira, mestre em administração e professora.

UOL Cursos Online

Todos os cursos